sicnot

Perfil

País

Portugal e Irão assinalam "nova fase" no relacionamento e sublinham "desafios comuns"

A função de Portugal como "porta de entrada" para o Irão estabelecer contactos com os países lusófonos foi hoje sublinhada pelo chefe da diplomacia de Teerão, Javad Zarif, que visitou Lisboa a convite do seu homólogo português Rui Machete.

ANT\303\223NIO COTRIM

"Portugal é uma porta de entrada para o Irão promover contactos com os países de língua portuguesa, uma área que privilegiamos sobretudo em África, onde desenvolvemos boas relações há muitos anos, considerou o responsável iraniano, antes de se referir a um "novo dia" nas relações entre os dois países.    

"Pode ser um novo dia para as nossas relações com Portugal" e com o ocidente, assinalou, numa referência ao recente acordo provisório sobre o programa nuclear iraniano que deverá ser concluído de forma global até ao final e junho, com a perspetiva do fim das sanções internacionais aplicadas desde há longos anos ao país.   

A deslocação de Javad Zarif a Lisboa retribuiu a visita do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros (MENE) Rui Machete ao Irão, há cerca de três meses. Para além do encontro com o seu homólogo, Javad Zarif reuniu-se previamente com o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, e anunciou uma visita para breve ao seu país do vice-primeiro-ministro Paulo Portas. 

Ao iniciar a conferência de imprensa comum, Rui Machete recordou que os dois países "comemoram 500 anos desde o início do seu relacionamento diplomático" e definiu o atual estado das relações bilaterais, um dos temas do encontro, como "bom e com tendência para melhorar".   

Numa referência à sua recente deslocação oficial à república islâmica, Machete disse que Portugal pretende aproveitar o seu "potencial económico e que constitui um grande mercado para os produtos e serviços portugueses, sobretudo em setores como a construção automóvel, energias renováveis ou construção imobiliária de infraestruturas onde o valor das empresas portuguesas é reconhecido e onde o Irão tem apostado muito". 

O ministro português destacou ainda os "bons resultados" das negociações sobre o programa nuclear que decorreram em Lausanne e destacou os "esforços da alta representante da UE (para a Política Externa e de Segurança), Federica Mogherini, pelo secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e restantes colegas que tornaram este acordo possível, e o trabalho do representante iraniano aqui presente".   

Numa referência ao acordo definitivo que deverá ser anunciado até finais de junho, Machete exortou o Irão a "manter esse mesmo grau de empenho e confiança e que permita a redação de um acordo final".  

A abordagem dos conflitos regionais, as ameaças "de grande dimensão" e que requerem "resposta concertada da comunidade internacional", a necessidade de "contrariar veementemente e sem reservas as mensagens xenófobas e radicais de determinadas organizações, como Daesh (o movimento extremista Estado islâmico), Al-Qaida e respetivos afiliados", foram ainda aspetos salientados pelo MENE.  

"Mas para que isso aconteça é necessário que se promova cultura de diálogo e tolerância. A perseguição a que muitas minorias ou populações mais vulneráveis estão sujeitas é um crime para a própria estrutura social de muitos países da região", sustentou. 

Neste aspeto, Machete encorajou o Irão a "usar da sua influência regional, que é muito importante, para promover esta cultura de tolerância e estabelecer pontes e promover o diálogo de forma a contrariar a visão de que existe um confronto entre o xiismo e o sunismo". 

"Estamos no começo de uma nova fase de enorme importância em que cabe ao Irão um papel muito importante e confiamos que está à altura desse papel" frisou. 

Estes aspetos também foram sublinhados pelo ministro iraniano, que se referiu ao "muito trabalho a fazer, aos desafios comuns, porque o extremismo, terrorismo e tráfico de droga na nossa região são problemas interligados que estão a expandir-se e que são uma ameaça". 

A necessidade de "envolvimento e apoio ativo" dos principais atores internacionais na resolução dos principais desafios, em particular na conturbada região do Médio oriente, mereceu ainda a atenção de Javad Zarif.

"Necessitamos de terminar com assuntos que foram fabricados, o Irão nunca pretendeu desenvolver armas nucleares, porque as consideramos não apenas imorais, mas na prática inúteis em termos de dissuasão", assinalou. 

E concluiu: "Pode ser um novo dia para as relações entre Portugal e o Irão, mas também para as relações entre o Irão e o ocidente".

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • As polémicas do primeiro mês de Donald Trump como Presidente
    3:17
  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.

  • Benefícios fiscais trouxeram a Portugal 10 mil estrangeiros em 2015

    Economia

    Os benefícios fiscais em Portugal atraíram mais de 10 mil estrangeiros no ano passado. A maioria vem com o estatuto de residente não habitual, que dá isenção total de IRS aos reformados por dez anos e 20% de isenção no imposto para profissionais que estiverem ligados a atividades de valor acrescentado como Psicologia, Investigação ou Medicina.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.