sicnot

Perfil

País

Mulher que disparou contra marido condenada a oito anos e meio de prisão

O Tribunal de Santa Maria da Feira condenou esta quinta-feira a uma pena de prisão de oito anos e meio uma mulher acusada de ter tentado matar o marido com um tiro de caçadeira, em Castelo de Paiva, em 2014.

(Arquivo)

(Arquivo)

SIC

O tribunal deu como provado que a arguida, de 44 anos, disparou contra o marido com a intenção de o matar, não dando assim credibilidade ao depoimento da mulher, durante o julgamento, que disse que só o pretendia "assustar".

"A arguida fez uma espera ao marido, pela calada da noite, experimentou a arma de fogo e disparou para uma zona nevrálgica do corpo humano", afirmou o juiz-presidente durante a leitura do acórdão.

O magistrado realçou ainda a gravidade deste comportamento, assinalando que se tem assistido a uma "preocupante escalada de violência entre cônjuges ou ex-cônjuges".

"O tribunal tem de emitir um sinal à sociedade de que não pode tolerar este tipo de comportamentos", disse o juiz, acrescentando que a pena a aplicar tem de ser "suficientemente dissuasora".

A mulher, que assistiu à leitura do acórdão por videoconferência, foi condenada a oito anos de prisão, por um crime de homicídio qualificado na forma tentada, e um ano e meio, por um crime de detenção ilícita de arma proibida.

Em cúmulo jurídico, o coletivo de juízes aplicou-lhe uma pena única de oito anos e meio de prisão.

O marido da arguida, que também foi julgado no mesmo processo por um crime de detenção de arma proibida, foi condenado a 250 dias de multa, à taxa diária de oito euros, totalizando 2.000 euros.

No final, a advogada da arguida disse que vai recorrer do acórdão, considerando a pena "extremamente excessiva".

O crime remonta a 10 de julho de 2014 e terá ocorrido num quadro de desavenças do casal, com três filhos de 9, 19 e 26 anos.

Segundo a acusação do Ministério Público (MP), a mulher muniu-se de uma espingarda e escondeu-se atrás de uns arbustos no jardim à espera que o marido chegasse a casa.

A arguida esperou que o marido saísse do carro e quando se encontrava a cerca de 8 ou 9 metros do mesmo, apontou-lhe a arma na direção do tronco e efetuou um disparo que o atingiu na zona do abdómen.

O MP diz que o marido só não morreu porque, "por mero acaso e imprecisão na pontaria da arguida", apenas foi atingido superficialmente.
Lusa
  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Pyongyang cria vídeo a simular ataque a navios dos EUA
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos da América pretendem reforçar as sanções à Coreia do Norte e investir nos esforços diplomáticos. Contudo, a tensão militar persiste. Pyongyang emitiu um vídeo em que simula um ataque a navios norte-americanos.

  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.