sicnot

Perfil

País

Ordem dos Advogados abriu processo disciplinar a João Araújo

O Conselho de Deontologia da Ordem dos Advogados (OA) abriu um processo disciplinar a João Araújo, advogado de José Sócrates, por declarações dirigidas a uma jornalista do Correio da Manhã, disse hoje à Lusa fonte da OA.

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

ANDRÉ SANANO/LUSA

Rui Santos, presidente do Conselho de Deontologia da Ordem, acrescentou que "finalmente, na passada segunda-feira"  lhe tinha chegado às mãos a queixa que a jornalista Tânia Laranjo apresentou à Ordem dos Advogados por declarações que o advogado do primeiro-ministro lhe dirigiu a 16 de março, à saída do Supremo Tribunal de Justiça, onde tinha sido apreciado um pedido de libertação imediata de José Sócrates.

Nesse dia, a jornalista  Tânia Laranjo anunciou que ia apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público contra João Araújo e uma outra à Ordem dos Advogados.

Em causa está a forma como João Araújo se dirigiu à jornalista no final da apreciação do pedido de 'habeas corpus' em que, junto ao edíficio do STJ, lhe sugeriu que "tomasse mais banho" e disse que "cheirava mal".

Rui Santos explicou que foi aberto um processo disciplinar, procedimento que permite ao advogado de José Sócrates defender-se das acusações que lhe são imputadas.

"Os advogados só se podem defender em sede de processo disciplinar", frisou Rui Santos.

Contactado pela Lusa, João Araújo escusou-se a comentar a decisão do Conselho de Deontologia da OA, alegando que não comenta decisões que não lhe são notificadas.

"Não faço comentários a decisões que não me são notificadas. Não posso comentar o que não conheço", disse, acrescentando que estranha "que o Conselho de Deontologia notifique os jornais e não os advogados".

Para João Araújo, o facto de ter sabido da abertura do processo disciplinar pela comunicação social reflete o "descontrolo do conselho".



Lusa
  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.