sicnot

Perfil

País

Governo diz que nova lei sobre amas tem plano de transição com apoios

A nova lei sobre as amas vai contemplar um plano de transição e a possibilidade de, durante um ano, se apoiar famílias mais pobres, especificou hoje o Ministério da Solidariedade, Emprego e Segurança Social (MSESS).

As fontes indicaram que a mulher, psicóloga, foi detida na última terça-feira e presente a primeiro interrogatório judicial, ficando a aguardar o desenrolar do inquérito em liberdade. (Arquivo)

As fontes indicaram que a mulher, psicóloga, foi detida na última terça-feira e presente a primeiro interrogatório judicial, ficando a aguardar o desenrolar do inquérito em liberdade. (Arquivo)

SIC

A propósito do diploma aprovado pelo Conselho de Ministros, na quinta-feira, o MSESS diz que o Instituto da Segurança Social (ISS) estabeleceu um programa de proteção de profissionais e de famílias, que será feita uma avaliação da situação de cada ama e um diagnóstico da realidade em cada distrito, e também a "identificação de potenciais instituições de enquadramento para as amas e crianças acolhidas".

Para as amas que optarem por exercer atividade por conta própria haverá um programa de microcrédito e medidas de apoio à criação de empresas e de apoio à criação de empresas de jovens desempregados.

O Conselho de Ministros aprovou na quinta-feira o diploma que estabelece os termos e condições para o exercício da atividade de ama e o regime de contraordenações a aplicar, nomeadamente sobre segurança e qualidade dos serviços.

Ainda que o Governo diga que se pretende "ampliar a rede de amas e reforçar a sua formação, qualificação e acompanhamento", a Associação dos Profissionais do Regime de Amas (APRA) considera que a lei "vai ser uma desgraça" e não passa de "um despedimento coletivo".

Na semana passada, o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social, Pedro Mota Soares, garantiu que o ISS vai continuar a assegurar o financiamento das 950 amas afetas ao organismo.

Pedro Mota Soares, que falava na Comissão Parlamentar da Segurança Social, disse não haver um "enquadramento das amas como uma profissão", pelo que o objetivo é reconhecer esta atividade e qualificá-la.

Para Romana Sousa, da direção da APRA, a leitura é no entanto diferente. "Somos amas enquadradas em instituições, numa atividade que já funciona desde 1988, mas esqueceram-se e fizeram uma lei virada para as amas privadas", disse à Lusa, acrescentando que a lei prevê esse apoio mas apenas durante um ano.

 A lei, disse, vai acabar com essas amas, que atualmente cuidam de crianças de famílias sem salários para pagar mais de 10 ou 20 euros, e vai criar "amas de elite".

Lusa
  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.