sicnot

Perfil

País

Morreu Mariano Gago, ex-ministro do Ensino Superior

O antigo ministro da Ciência e do Ensino Superior, Mariano Gago, morreu esta sexta-feira, em sua casa, em Lisboa, aos 66 anos, vítima de doença súbita, disse à Lusa a sua secretária.

LAURENT GILLIERON

José Mariano Rebelo Pires Gago nasceu em Lisboa, a 16 de maio de 1948, encontrava-se doente com cancro, mas terá sido vítima de morte súbita, disse à Lusa a sua secretária nos últimos 30 anos, Maria José Miguel.

Mariano Gago foi ministro da Ciência e da Tecnologia, de 1995 a 2002, do XII e XIII Governos Contitucionais, liderados por António Guterres, e ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, em novos governos do Partido Socialista, desta vez com José Sócrates como primeiro-ministro, de 2005 a 2011.

Licenciou-se em Engenharia Eletrotécnica, pelo Instituto Superior Técnico, em 1971, e doutorou-se em Física pela Faculdade de Ciências da Universidade de Paris, em 1976.

Foi bolseiro do Instituto de Alta Cultura, no Laboratório de Física Nuclear e de Altas Tecnologias da École Polytechnique, de 1971 a 1976, e da Organização Europeia de Pesquisa Nuclear, de 1976 a 1978. 

Mariano Gago foi também presidente da Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, entre 1986 e 1989, e dirigiu o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas, em Lisboa.

Foi professor catedrático do Instituto Superior Técnico.

O ex-ministro foi um dos responsáveis pela criação da Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica, gestora da rede de Centros Ciência Viva e publicou vários trabalhos, entre os quais "Homens e Ofícios" (1978, 1982) e "Manifesto para a Ciência em Portugal" (1990).

Na obra "O futuro da cultura científica" (1994) defendeu a ciência e a tecnologia como bases para o desenvolvimento humano, social e civilizacional.

Em 1992 recebeu o título de Comendador da Ordem de Sant'Iago da Espada. 
Lusa
  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • Saída do Procedimento por Défice Excessivo marca debate no Parlamento
    1:40
  • Donald Trump já está no Vaticano 
    1:32