sicnot

Perfil

País

Universidade de Coimbra faz estudo sobre exames nacionais em Portugal

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC) vai liderar "o primeiro grande estudo" sobre os exames nacionais em Portugal, anunciou hoje aquela instituição.

(Arquivo)

(Arquivo)

LUSA

O grande objetivo é "confrontar o sistema português com as suas debilidades em função das experiências de outros países", afirma Jaime Carvalho e Silva, especialista em ensino de matemática na UC e coordenador do estudo.

 

"Queremos perceber que exames são feitos, quem os produz e como os produz, como são corrigidos e como é controlada a qualidade das provas", acrescenta o docente do Departamento de Matemática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UC.

 

"Vamos também avaliar, por exemplo, se os conteúdos são alinhados com os programas ou próprios do exame, o tipo de exame (escolha múltipla, resposta curta, desenvolvimento, escrito, oral, defesa de trabalhos, etc.), bem como o material autorizado" (tabelas, calculadoras, computadores, por exemplo), adianta.

 

A escolha reflete sistemas muito distintos, sustenta o docente de matemática, referindo que França é "um país com exames finais nacionais do secundário muito prestigiados e tradicionalmente exigentes".

 

Já na Coreia do Sul, "país asiático do topo dos rankings internacionais" ou em Singapura, "muito mencionado em discussões sobre a qualidade dos sistemas educativos", e nalguns outros países, como EUA, Canadá, Alemanha e Austrália, "nem sequer há exames nacionais (mas há exames na maioria dos Estados, embora não em todos)", afirma o especialista.

 

Em Portugal, os exames nacionais são "regularmente motivo de polémica", mas "não existe qualquer estudo sobre a matéria, nem relatórios técnicos que permitam avaliar a qualidade e a eficácia do sistema", refere, sublinhando a importância desta investigação.

 

Os exames em Portugal têm sido "um tema maldito e a discussão tem estado viciada, a grande maioria dos debates atuais é bastante superficial ou artificialmente politizada", frisa ainda o professor de matemática.

 

"Os exames são uma prova externa necessária", mas "o grande problema é que se pretende resolver as deficiências do sistema educativo português com recurso a provas nacionais", adverte Jaime Carvalho e Silva.

 

Designado "Comparação dos exames nacionais em Portugal com os de 12 outros países" (EUA, Canadá, Irlanda, Holanda, Alemanha, França, Espanha, Noruega, Coreia do Sul, Singapura, Brasil e Austrália), o estudo é financiado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos.

 

Envolvendo uma equipa multidisciplinar da UC e vários professores do ensino básico e secundário, a investigação pretende também "um debate público, sem preconceitos, sobre os exames nacionais", refere a UC, acrescentando que "vão ser realizadas várias conferências, em Coimbra, abertas ao público".

 

A primeira conferência está agendada para quarta-feira, no Departamento de Matemática da UC, com a participação, designadamente, do presidente do Conselho Nacional de Educação, David Justino.


Lusa

  • A fábrica de caças na base aérea de Monte Real
    3:35
  • Comprar ou arrendar casa?
    8:25
  • Fui contactado por um espectador do “Contas-Poupança” (quartas-feiras, Jornal da Noite, SIC) e leitor do blogue www.contaspoupanca.pt, que foi surpreendido com uma carta do banco a aumentar o spread porque um dos serviços que tinha subscrito tinha sido extinguido. Neste caso específico, a domiciliação de ordenado. Ora, o cliente ficou estupefacto porque não mudou de empresa, não foi despedido nem tinha havido nenhuma alteração no recebimento do ordenado naquela conta.

    Pedro Andersson

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Temer acusado de prejudicar Polícia Federal
    2:36
  • Trump interrompe telefonema para elogiar jornalista

    Mundo

    A jornalista irlandesa Caitriona Perry viu-se esta terça-feira envolvida num momento que a própria classificou de "bizarro": um encontro inesperado com Donald Trump, que interrompeu um telefonema com o primeiro-ministro irlandês para... a elogiar.

    SIC

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.