sicnot

Perfil

País

Trabalhadores dos monumentos fazem hoje greve no Dia Internacional dos Monumentos

Os trabalhadores dos monumentos e sítios arqueológicos fazem hoje greve às horas extraordinárias no âmbito de um pré-aviso lançado pela Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais (FNSTFPS). 

Em 2013, o conjunto destes espaços culturais tinha recebido 3,4 milhões  de visitantes, representando um aumento 7,9 por cento no número de entradas,  em comparação com 2012, segundo as estatísticas oficiais. 

Em 2013, o conjunto destes espaços culturais tinha recebido 3,4 milhões  de visitantes, representando um aumento 7,9 por cento no número de entradas,  em comparação com 2012, segundo as estatísticas oficiais. 

© Nacho Doce / Reuters

De acordo com o comunicado divulgado na sexta-feira pela Federação, a greve foi marcada para hoje, Dia dos Monumentos e Sítios, e para 16 e 18 de maio, Noite e Dia dos Museus.

A FNSTFPS precisou que o pré-aviso foi emitido para aqueles dias, com o objetivo de realizar uma greve nacional ao trabalho prestado fora do período normal e às horas extraordinárias.  

Hoje comemora-se em todo o país o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, com iniciativas que vão desde visitas guiadas, leituras, oficinas, concertos, e a 16 e 18 de maio estão previstas atividades para a Noite dos Museus e o Dia Internacional dos Museus.

"É sabido que, nestes dias, o Governo/Secretaria de Estado da Cultura têm vindo a usar os trabalhadores para brilharem perante a comunicação social e o público que podem visitá-los [museus e monumentos], de forma gratuita, fora dos horários normais, nomeadamente, noite dentro", sustenta o comunicado da FNSTFPS.

A Federação indica que, nestas datas, celebradas anualmente, "a maioria dos trabalhadores chega a fazer 18 horas seguidas de trabalho, numa clara violação de todos os normativos legais, relativos à duração diária de trabalho, à laboração contínua e ao trabalho extraordinário".

"Inclusive, são igualmente chamados ao trabalho os desempregados que estão ao serviço com contrato de emprego de inserção, sem pejo nenhum quanto à exagerada carga horária a que os sujeitam nestes dias", acrescenta.

Para a Federação, "dado que a jornada de trabalho é de oito horas e que o trabalho extraordinário apenas pode acrescer em duas horas, fica evidente que o restante tempo de trabalho é para compensar talvez um dia", segundo os sindicatos. 

"É que a falta de pessoal é de tal forma grave que essa compensação nunca será dada", argumentam.

A Lusa pediu uma reação sobre este pré-aviso de greve à Secretaria de Estado da Cultura, mas até agora não obteve resposta.

 
Lusa
  • Vem lá chuva

    País

    A chuva vai voltar a Portugal continental a partir de quarta-feira e pelo menos até domingo, enquanto as temperaturas mínimas deverão subir.

  • "O Sporting é o um barco à deriva"
    2:26
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    A crise do Sporting foi o principal tema em O Dia Seguinte, esta segunda-feira. José Guilherme Aguiar censura Bruno de Carvalho por ter convidado Jorge Jesus para a comissão de honra da recandidatura. Já Rogério Alves não tem dúvidas que a contestação tem aumentado de tom devido à proximidade das eleições do Sporting. Rui Gomes da Silva pensa que toda a direção leonina é responsável pelo mau momento atual do clube.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Violação emitida em direto no Facebook

    Mundo

    Três homens foram detidos na Suécia, por suspeitas de violação de uma mulher, num apartamento a 70 quilómetros da capital. Os suspeitos filmaram o ato de violência e exibiram-no em direto no Facebook.

  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.