sicnot

Perfil

País

Dietistas exigem tratamento igual aos nutricionistas

A Associação Portuguesa de Dietistas (APD) defendeu hoje que estes profissionais de saúde têm "as mesmas competências" que os nutricionistas, exigindo um tratamento igual e que a profissão passe a denominar-se dietista-nutricionista.

© Umit Bektas / Reuters

A Ordem dos Nutricionistas, que atualmente regula as profissões de nutricionista e dietista, iniciou o processo de convergência das profissões, fazendo com que desapareça a de dietista, por proposta do Governo, uma situação já contestada pelos nutricionistas. 

A APD defende, em comunicado, que "os dietistas têm as mesmas competências técnicas que os nutricionistas" e pretende "um tratamento pautado pelo princípio da igualdade".

  Para expor a sua posição, a associação solicitou uma audiência à Comissão Parlamentar do Trabalho, Segurança Social e Administração Pública antes da discussão da proposta de lei do Governo para alteração dos Estatutos da Ordem dos Nutricionistas, agendada para a próxima sexta-feira, no Parlamento.

Segundo a associação, os dietistas "têm sido alvo de discriminação ativa por terceiros que sustentam que os nutricionistas são os profissionais de referência na área da nutrição e da dietética, dispondo de mais e melhores competências que os dietistas, encetando ações de promoção de emprego no setor público e privado apenas aos nutricionistas".

Defendem que os dietistas licenciados pelo ensino superior politécnico são Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica e os dietistas licenciados pelo ensino superior universitário estão integrados na carreira de Técnico Superior de Saúde. 

"A verdade é que a generalidade dos dietistas, mesmo que licenciados, continua integrada na carreira de técnico de diagnóstico e terapêutica", explica a APD. 

"Além das consequências em sede de dignidade profissional e económicas, a manutenção do 'status quo' em matéria de carreiras públicas tem permitido que a Ordem dos Nutricionistas sustente -- erradamente -- que os dietistas dispõem de menores competências técnicas face aos nutricionistas, dado que estes são Técnicos Superiores de Saúde", sustenta. 

Na passada quarta-feira, cerca de meia centena de nutricionistas e alunos de Ciências da Nutrição manifestaram-se, no Porto, contra a convergência das duas profissões.

 A APD diz que não pode concordar com o que está "a ser oficialmente defendido nos protestos, comunicados e testemunhos à imprensa por nutricionistas e estudantes da área", porque "ambas as profissões são iguais". 

Segundo dados da associação, existem mais de 900 dietistas em Portugal.

A bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, afirmou no dia do protesto que a fusão das duas profissões é a "melhor solução".

Na opinião de Alexandra Bento, a convergência das profissões garantirá a estes profissionais uma "maior representatividade" no mercado de trabalho e nos órgãos do Governo, conferindo-lhes uma maior força reivindicativa na resolução dos problemas que afetam a classe. 

A responsável lembrou que a proposta de extinguir a profissão de dietista, mantendo-se apenas a de nutricionista, foi feita pela Assembleia da República, pelo Governo e pelo provedor de Justiça. 



Lusa

  • José Oliveira Costa, o rosto do buraco financeiro do BPN
    3:04

    País

    José Oliveira Costa foi o homem forte do BPN durante 10 anos e tornou-se o rosto do gigantesco buraco financeiro. Manteve-se em silêncio durante todo o julgamento, mas falou aos deputados da comissão de inquérito, para negar qualquer envolvimento no escândalo que fez ruir o BPN.

  • O fim do julgamento do caso BPN, seis anos depois
    2:26

    País

    O antigo presidente do BPN José Oliveira Costa tentou adiar o fim do julgamento principal do caso com um recurso para o Tribunal Constitucional. Apesar disso, a leitura do acórdão continua marcada para esta quarta-feira, quase seis anos e meio depois de os 15 arguidos se terem sentado pela primeira vez no banco dos réus.

  • Governo formaliza pedido para pagamento antecipado ao FMI
    0:34

    Economia

    Mário Centeno formalizou esta terça-feira o pedido aos ministros europeus das Finanças para que autorizem o pagamento antecipado de dez mil milhões de euros ao FMI. Em entrevista à Bloomberg, o ministro descartou ainda qualquer renegociação da dívida portuguesa após a saída do Procedimento por Défice Excessivo (PDE). No final da reunião do ECOFIN, foi o Secretário de Estado Mourinho Félix quem falou aos jornalistas portugueses.

  • Governo garante que não autoriza despedimentos na PT
    2:27

    Economia

    O primeiro-ministro garantiu esta terça-feira no debate quinzenal, que não dará luz verde a eventuais despedimentos na PT. António Costa disse ainda que o país tem pouca margem orçamental, apesar da saída do Procedimento por Défice Excessivo.

  • Donald Trump já está no Vaticano 
    1:32