sicnot

Perfil

País

PSP do Porto ganha 22 polícias ''motards'' para combater crime violento

A PSP do Porto integra a partir de hoje uma estratégia de segurança pública nacional tendo operacionais 22 homens que auxiliados por motos de alta cilindrada vão combater criminalidade violenta e grave na área metropolitana do Porto.

A PSP do Comando Metropolitano do Porto procedeu a oito buscas domiciliárias / Lusa

A PSP do Comando Metropolitano do Porto procedeu a oito buscas domiciliárias / Lusa

JOSE SENA GOULAO

As novas Equipas de Prevenção e Reação Imediata (EPRI) do Porto vão trabalhar em toda a área de jurisdição da PSP do Porto, que envolve os concelhos do Porto, Gaia, Matosinhos, Gondomar, Valongo, Maia, Vila do Conde, Póvoa de Varzim e Santo Tirso e abarca cerca de um milhão de pessoas, anunciou hoje o comissário Marco Almeida, em conferência de imprensa no Comando Metropolitano do Porto da PSP.

As EPRI da PSP do Porto contam com 22 elementos policiais que terminaram a formação com sucesso e que vão ter como prioridade "combater a criminalidade violenta e grave" através de uma "resposta ágil" e "rápida" através de motociclos de "alta cilindrada", da marca BMW, explicou o comissário Marco Almeida.

"As equipas vão trabalhar por "turnos, todos os dias da semana e durante 24 horas por dia", adiantou Marco Almeida, referindo que o intuito da reorganização do dispositivo foi adaptar os recursos humanos e materiais na senda de uma estratégia de segurança pública nacional.

Os roubos por esticão ou os assaltos na via pública são alguns dos crimes a que as novas equipas de polícias 'motard' vão estar mais atentas, por implicar uma maior rapidez de atuação, explicou a mesma fonte policial.

As EPRI são "mais uma valência operacional" e vão atuar de "modo preventivo, complementar e em reforço da intervenção dos restantes meios e valências policiais", como por exemplo no "patrulhamento apeado e auto".

Segundo a PSP, as EPRI contribuirão de "forma significativa para garantir a segurança, ordem e tranquilidade públicas e de reforço de sentimento de segurança dos cidadãos".




Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida