sicnot

Perfil

País

Sismo de 4,9 registado no grupo central dos Açores

Um sismo de magnitude 4,9 na escala de Richter foi registado no domingo nos Açores com epicentro a oeste-noroeste da freguesia do Capelo, concelho da Horta, na ilha do Faial, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Beawiharta Beawiharta / Reuters

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o sismo foi registado às 22:02 (23:00 hora de Lisboa) nas estações da Rede Sísmica do Arquipélago dos Açores, com uma magnitude de 4,9 na escala de Richter e cujo epicentro se localizou a cerca de 60 quilómetros a oeste-noroeste da freguesia do Capelo, concelho da Horta, na ilha do Faial.

O IPMA adiantou, em comunicado, que o sismo foi sentido com intensidade máxima de IV (na escala de Mercali modificada) na região de Feteira, freguesia do concelho da Horta, na ilha do Faial, e de III em Lages, S. Roque do Pico, e em Silveira do Pico, na ilha do Pico.

Segundo o IPMA, o sismo não causou danos pessoais ou materiais.


Lusa
  • 105 detidos pela PSP e GNR nas últimas 24 horas

    País

    Só a GNR deteve 64 pessoas em flagrante delito, entre a noite de sexta-feira e o início da manhã deste sábado, a maioria das quais (47) por condução sob o efeito do álcool. A PSP de Lisboa efetuou 41 detenções em 24 horas, dez por tráfico de droga.

  • Videoamador mostra grupo a atar tocha a um touro
    1:33
  • PJ investiga forma como o FC Porto obteve os e-mails
    1:58

    Desporto

    Enquanto o campeonato português de futebol está de férias do relvado, nos bastidores continua uma guerra aberta por causa dos e-mails. O FC Porto entregou à Polícia Judiciária toda a documentação disponível do chamado caso dos e-mails, que envolve o Benfica num alegado esquema de corrupção. O pedido foi feito pela Unidade Nacional de Combate à Corrupção da PJ. A forma como o FC Porto obteve os e-mails também está a ser investigada pela Polícia Judiciária.

  • Manifestantes bloquearam Caracas

    Mundo

    Milhares de pessoas bloquearam esta sexta-feira as ruas de Caracas e de outras cidades, em protesto contra a repressão e o assassinato de manifestantes pelas forças de segurança.