sicnot

Perfil

País

Assunção Cristas quer que próximo governo seja "amigo dos agricultores"

A ministra da Agricultura e Mar Assunção Cristas afirmou hoje que fará tudo para que o próximo governo seja "amigo dos agricultores", sublinhando que governos anteriores, nomeadamente o PS, deixaram "uma marca muito má no setor".

OCT\303\201VIO PASSOS

Em declarações à Lusa, à margem do 7.º Congresso da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), Assunção Cristas disse-se empenhada em trabalhar para o crescimento económico sustentável da agricultura, que considerou ser "imparável" desde que o governo seguinte continue "com aquilo que está em cima da mesa, nomeadamente em matéria de reforma da PAC [Política Agrícola Comum]".

"Tudo farei para que o próximo governo continue a ter esta ambição, a ter um ministério amigo dos agricultores, que trabalhe em conjunto com os agricultores para o setor, e não um ministério que só crie entraves, dificuldades e que deixou uma marca negativa muito grande de quem não amava o setor e não acreditava que fosse um setor de futuro", disse a ministra numa alusão ao anterior governo socialista.

Assunção Cristas sublinhou que governos anteriores, "nomeadamente o Partido Socialista deixaram uma marca muito má no setor" e "tinham uma postura agressiva com os agricultores".

A ministra confessou não ter lido detalhadamente o cenário macroeconómico do PS, mas lembrou "o constrangimento herdado do passado" que "não se desfez numa legislatura".

Lusa
  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.