sicnot

Perfil

País

Bloco de Esquerda quer novo concurso de vinculação de professores

O Bloco de Esquerda (BE) entregou hoje, na Assembleia da República, um projeto de resolução para recomendar ao Governo a anulação dos concursos de professores e o lançamento de um novo concurso de vinculação.

JOS\303\211 COELHO

Em causa para o BE está a denominada 'norma-travão', criada pelo ministério de Nuno Crato, em resposta a uma diretiva comunitária que instava o Estado português a integrar nos quadros todos os professores contratados com mais de três contratos.

A solução adotada pelo atual Governo foi a de criar um mecanismo de vinculação automática para todos os professores contratados que completem cinco anos de contratos sucessivos, completos e anuais.

"A 'norma-travão' [...] criou uma monumental trapalhada onde milhares de professores com vários anos de serviço foram ultrapassados por outros com menos anos de serviço. Dos 32.915 candidatos ao concurso externo, apenas 865 obtiveram colocação, deixando para trás milhares de professores com 5, 10, 15 ou mais anos de serviço. O clamor público dos professores deixados para trás revela a extensão do problema. Ambas as centrais sindicais, FENPROF e FNE, denunciaram o concurso e vários processos em tribunal se anunciam", lê-se no projeto de resolução bloquista.

Com base nestes argumentos, o BE pede a anulação do concurso externo cujas listas provisórias foram divulgadas no final da passada segunda-feira, e o lançamento de um novo concurso.

O Sindicato Nacional dos Professores Licenciados (SNPL) anunciou hoje que vai avançar para tribunal contra o Ministério da Educação e Ciência (MEC), que acusa de prejudicar milhares de docentes contratados que deveriam estar nos quadros.

As ações baseiam-se na não aplicação da norma comunitária de 2001 que exige a integração dos funcionários com mais de três anos de serviço e que, segundo contas do sindicato, já prejudicou mais de três mil professores.

Na terça-feira, as duas federações sindicais da Educação - FNE e Fenprof - alertaram para a "injustiça" da 'norma-travão', defendendo que mais de 20 mil docentes tinham sido ultrapassados por colegas com menos anos de serviço ou menor graduação profissional.

A Fenprof pediu uma reunião com caráter de urgência ao ministro da Educação, Nuno Crato, e adiantou que vai reforçar a queixa junto da Comissão Europeia, relativamente à forma como está a ser dado cumprimento à diretiva comunitária.

A Fenprof adiantou ainda que irá recorrer "de novo" ao provedor de Justiça e aos grupos parlamentares, para além de estar a avaliar um eventual recurso aos tribunais, e de apelar à adesão dos professores a eventuais protestos que venham a ser convocados.

A Associação Nacional de Professores Contratados (ANVPC) também contestou o resultado das listas provisórias de colocação, defendendo que deixavam de fora inúmeros profissionais com 10, 15 e 20 anos de serviço. 

Também a ANVPC desafiou os professores a recorrerem novamente aos tribunais e à Comissão Europeia, num novo movimento que defenda a estabilidade do emprego docente.

O MEC recebeu 33.465 candidaturas de professores sem vínculo para as quase 1.500 vagas para entrar nos quadros.

Lusa
  • Morte de portuguesa no Luxemburgo afinal não aconteceu

    País

    A morte de uma portuguesa em Bettembourg, no sul do Luxemburgo, não terá acontecido. O Jornal do Luxemburgo avançou, esta manhã, que a emigrante portuguesa tinha sido baleada mortamente pelo filho, uma informação entretanto desmentida por outro jornal online. Segundo o Bom Dia Luxemburgo, o que aconteceu foi afinal uma rusga policial.

  • Estamos quase na hora de verão

    País

    Esta madrugada muda a hora. Quando for 1h00, os relógios adiantam para as 2h00. Será uma noite com menos tempo de sono, mas os dias vão ficar mais longos com o chamado horário de verão.

  • Hora do Planeta, apagam-se as luzes para despertar consciências
    2:19
  • Divorciados vão poder dividir filhos no IRS 

    Economia

    Os divorciados vão passar a poder dividir os filhos no IRS (imposto sobre o rendimento singular) e o Governo está a estudar soluções para que em 2018 haja um novo sistema para lidar com a guarda conjunta de filhos.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Ataques aéreos dos EUA em Mossul podem ter causado a morte de 200 civis
    1:22
  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.

  • Quando o cancro chega por mero acaso
    1:55

    Mundo

    Cerca de dois terços das mutações que ocorrem nas células cancerígenas devem-se ao acaso, segundo um estudo da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos. Em Portugal, o Diretor do Programa Nacional Doenças Oncológicas alerta para a importância de um diagnóstico precoce e um estilo de vida saudável como forma de reduzir a fatalidade.