sicnot

Perfil

País

STAL anuncia queixa-crime contra não publicação de acordos pelas 35 horas de trabalho

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) vai apresentar uma queixa-crime no Ministério Público contra o Governo pela falta de publicação dos acordos que permitem trabalhar 35 horas semanais nas autarquias, disse hoje o presidente do STAL.

No final de uma manifestação que juntou mais de três mil pessoas na Baixa de Lisboa, que desfilaram entre o Rossio e a avenida Infante D. Henrique, onde está localizado o Ministério das Finanças, Francisco Braz criticou a falta de publicação dos mais de 500 Acordos Coletivos de entidade Empregadora Pública (ACEP) celebrados entre o Governo e as autarquias.

"Isto é uma vergonha, é criminoso. De resto, vamos solicitar ao Ministério Público que desenvolva o que for necessário para responder a uma queixa-crime que vamos fazer sobre este Governo", disse, precisando posteriormente que o STAL irá apresentar esta queixa-crime, "previsivelmente, ainda esta semana".

O dirigente do STAL criticou ainda a utilização de 77 mil desempregados que estão a prestar serviços na administração pública, recebendo "o subsídio de desemprego a que tinham direito acrescido de cerca de 80 euros, sem qualquer perspetiva de futuro".

"É preciso cuidar dos salários. Não é no próximo Governo. É já. É preciso o fim da sobretaxa e é já. Não é para depois. É já. É preciso acabar com esta coisa de utilização de mão-de-obra desempregada. Isto é um crime social. Isto é um atentado até às consciências", afirmou, acrescentando que o STAL vai pedir audiências à Procuradoria-Geral da República, ao Provedor de Justiça e à presidente da Assembleia da República para alertar estas entidades para o que considerou "trabalho escravo".

Na manifestação de hoje, que terminou em frente ao Ministério das Finanças, participou também o secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, assim como trabalhadores da administração local de todo o país.

A Lisboa chegaram 70 autocarros com manifestantes vindos de todos os distritos, de acordo com José Correia, vice-presidente do STAL.

No final da manifestação, os trabalhadores aprovaram uma moção, que entregaram no Ministério das Finanças.

No manifesto, os trabalhadores "exigem a imediata eliminação da sobretaxa extraordinária de IRS e o aumento do salário mínimo", além da "imediata publicação dos ACEP, livremente celebrados com as autarquias, pondo-se cobro ao bloqueio ilegal imposto pelo Governo e ao seu comportamento chantagista, prepotente e inconstitucional".

Reclamam ainda a "imediata revogação do regime legal dos contratos de emprego e inserção e a regularização da situação destes trabalhadores sempre que desempenham funções permanentes".

O "imediato início de um processo de valorização das carreiras profissionais e dos salários na administração pública, que reponha o poder de compra perdido e dignifique os trabalhadores" é outra das exigências.

Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário ou ainda esta sexta-feira, em formato online.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.