sicnot

Perfil

País

Médica julgada hoje por tentar assaltar ourivesaria em Lisboa

Uma médica que tentou assaltar uma ourivesaria no Centro Comercial Roma, em Lisboa, em dezembro de 2011, começa hoje ser julgada, após os exames periciais ordenados pelo tribunal revelarem que a arguida é imputável.

© Aly Song / Reuters

A perícia psiquiátrica foi pedida pela juíza, em 2013, num primeiro julgamento, no qual a arguida disse que no dia dos acontecimentos apenas queria ir dar um passeio com o filho de 15 anos - que ficou no exterior da ourivesaria -, mas acabou por entrar na loja, dizendo que estava sob o efeito de forte medicação psiquiátrica e com uma depressão profunda.

A juíza determinou, na ocasião, em concordância com o Ministério Público (MP) e o advogado da arguida, a interrupção do julgamento até à conclusão do relatório pericial, levando assim à "perda da prova" produzida nessa primeira sessão e à consequente anulação das declarações da arguida.

Segundo o despacho de acusação do MP, a mulher entrou na ourivesaria na tarde de 26 de dezembro e, depois de atirar gás pimenta para a cara da funcionária, tentou fugir com várias joias no valor total de 7.200 euros que tinham sido colocadas em cima do balcão.

A arguida foi imobilizada pela funcionária e por um segurança que se encontrava no exterior do estabelecimento comercial e entregue às autoridades, que lhe apreenderam uma réplica de uma arma de fogo que trazia na mala.

A médica está acusada de um crime de roubo agravado na forma tentada, de um crime de detenção de arma proibida e de uma contraordenação.

O início da sessão está marcado para as 13:30 na Instância Local de Lisboa, Juiz 4, no Campus da Justiça.


Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.