sicnot

Perfil

País

Sindicato fala em risco do ensino superior perder quatro mil professores

O ensino superior arrisca perder 4 mil docentes nos próximos anos, devido às "severas restrições" orçamentais que têm impedido a contratação, denunciou esta quinta-feira o sindicato independente do setor, SNESup.

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino. (Arquivo)

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino. (Arquivo)

Paulo Duarte / AP

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino.

"Segundo dados da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), dos cerca de 25 mil docentes do ensino superior público em 2013, mais de 2000 tinham 60 ou mais anos, e mais de 7 mil docentes tinham entre 50 e 59 anos", afirma o sindicato em comunicado.

O sindicato salienta também que há cada vez mais professores com cargas letivas que vão "além dos limites legais" e que as restrições à contratação têm estado a ser colmatadas com vínculos precários.

"Algumas instituições estão já a programar cargas horárias letivas que quase duplicam o limite legal", lê-se no documento.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do SNESup, António Vicente, afirmou que a estrutura sindical está a ultimar uma queixa à Comissão Europeia para exigir que seja aplicada também no ensino superior a vinculação de docentes com vários anos de serviço que o Ministério da Educação tem estado a adotar no básico e secundário, na sequência de uma intimação de Bruxelas.

"Julgamos que é importante para a estabilização do corpo docente e também para as instituições, sabendo com o que contam, poderem preparar melhor o rejuvenescimento do seu corpo docente", defendeu.

O sindicato frisa que, nos últimos cinco anos, os concursos de recrutamento de novos docentes ficaram "muito abaixo" do número que se tem reformado: "Estamos perante um grave problema de rejuvenescimento do corpo docente".

O SNESup sublinha ainda que há cerca de mil docentes e investigadores que mantêm vínculos precários há mais de uma década.

"A preparação de docentes do ensino superior é um processo que demora vários anos, pelo que a preparação da nova geração não pode ser adiada", sustentou o dirigente sindical.
Lusa
  • Enfermeiros especialistas em saúde materna retomam protesto 

    País

    Os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia voltam quinta-feira de manhã a interromper as funções especializadas, o que pode afetar blocos de parto e maternidades. Queixam-se de "falta de resposta política adequada" e "ausência de acordos sérios".

  • Cristas vaiada em bairro de Chelas
    1:44

    Autárquicas 2017

    Assunção Cristas promete mudanças na Gebalis, a empresa municipal que gere os bairros sociais em Lisboa. Esta manhã, a candidata do CDS à câmara visitou um bairro de Chelas, onde foi vaiada por alguns populares.

  • Prestação da casa aumenta pela primeira vez desde 2014
    1:17

    Economia

    Pela primeira vez em três anos, as taxas de juro do crédito à habitação, estão a subir. A subida é de apenas 1 euro, mas é a primeira desde 2014, depois de em maio deste ano ter estabilizado e em junho ter descido. A justificação para este aumento é a evolução das taxas euribor.

  • "Em vez de ajudarem, estavam a tirar fotos dela a morrer"
    1:13
  • Criança irrequieta domina noticiário britânico
    1:19