sicnot

Perfil

País

Sindicato fala em risco do ensino superior perder quatro mil professores

O ensino superior arrisca perder 4 mil docentes nos próximos anos, devido às "severas restrições" orçamentais que têm impedido a contratação, denunciou esta quinta-feira o sindicato independente do setor, SNESup.

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino. (Arquivo)

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino. (Arquivo)

Paulo Duarte / AP

De acordo com o sindicato, há "um elevado número de professores" que vai reformar-se até 2020 e os impedimentos à contratação comprometem a preparação de profissionais e a qualidade do ensino.

"Segundo dados da Direção-Geral de Estatísticas da Educação e Ciência (DGEEC), dos cerca de 25 mil docentes do ensino superior público em 2013, mais de 2000 tinham 60 ou mais anos, e mais de 7 mil docentes tinham entre 50 e 59 anos", afirma o sindicato em comunicado.

O sindicato salienta também que há cada vez mais professores com cargas letivas que vão "além dos limites legais" e que as restrições à contratação têm estado a ser colmatadas com vínculos precários.

"Algumas instituições estão já a programar cargas horárias letivas que quase duplicam o limite legal", lê-se no documento.

Em declarações à agência Lusa, o presidente do SNESup, António Vicente, afirmou que a estrutura sindical está a ultimar uma queixa à Comissão Europeia para exigir que seja aplicada também no ensino superior a vinculação de docentes com vários anos de serviço que o Ministério da Educação tem estado a adotar no básico e secundário, na sequência de uma intimação de Bruxelas.

"Julgamos que é importante para a estabilização do corpo docente e também para as instituições, sabendo com o que contam, poderem preparar melhor o rejuvenescimento do seu corpo docente", defendeu.

O sindicato frisa que, nos últimos cinco anos, os concursos de recrutamento de novos docentes ficaram "muito abaixo" do número que se tem reformado: "Estamos perante um grave problema de rejuvenescimento do corpo docente".

O SNESup sublinha ainda que há cerca de mil docentes e investigadores que mantêm vínculos precários há mais de uma década.

"A preparação de docentes do ensino superior é um processo que demora vários anos, pelo que a preparação da nova geração não pode ser adiada", sustentou o dirigente sindical.
Lusa
  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33