sicnot

Perfil

País

Passos Coelho e Paulo Portas fazem declaração conjunta às 20h00

Os presidentes do PSD e do CDS/PP, Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, vão fazer uma declaração conjunta, hoje, pelas 20:00, num hotel de Lisboa, anunciaram os dois partidos, sem adiantar o tema.

© Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O comunicado chegou às redações sem a indicação do tema da declaração conjunta, assinado pelos "gabinetes de imprensa do PSD e CDS". 

O primeiro-ministro tinha afirmado, há cerca de uma semana, que "muito antes do verão" PSD e CDS-PP deveriam esclarecer a questão da coligação para as próximas eleições, lembrando a experiência comum dos dois partidos no Governo, que foi "positiva".

"Vamos ter eleições entre finais de setembro e princípios de outubro; muito antes do verão estou convencido de que os partidos esclarecerão tudo isso, mas valorizando a estabilidade do Governo", afirmou o primeiro-ministro e líder do PSD, Pedro Passos Coelho, durante a conferência "Os caminhos de crescimento", promovida pelo Jornal de Negócios e que decorreu em Lisboa, no passado dia 17 de abril.

Na ocasião, Passos Coelho sublinhou que "não há uma data fixada" para a decisão, considerando que a obrigação do PSD e do CDS-PP - "que têm uma experiência comum no Governo que foi positiva" - é "criar condições para que em conjunto" possam governar a seguir às eleições.



Lusa
  • Partidos lembram os 40 anos das eleições livres
    4:14

    New Articles

    A cerimónia, no parlamento, começou com a Grândola Vila Morena, e os discursos dos partidos com assento parlamentar. À esquerda apontaram baterias à narrativa do inevitável. Do PSD, Fernando Negrão referiu-se à liberdade de imprensa, e o socialista Miranda Calha lembrou com saudade as primeiras eleições livres.

  • "O polvo está perfeitamente à rasca"
    1:45
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As denúncias do Benfica estiveram em análise ontem no programa O Dia Seguinte da SIC Notícias. Rui Gomes da Silva considera graves algumas das acusações feitas pelos encarnados. Já Paulo Andrade e José Guilherme Aguiar consideram que tudo não passa de uma manobra de diversão do Benfica.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26