sicnot

Perfil

País

Governo propõe planos de igualdade para acabar com diferenças salariais entre género

O  Governo vai propor hoje em concertação social que as empresas adotem planos de igualdade para acabar com a discriminação entre homens e mulheres no mercado de trabalho, nomeadamente corringindo as diferenças salariais.

© Vincent Kessler / Reuters

Esta é uma das recomendações apresentadas num documento de suporte à discussão do tema da igualdade entre mulheres e homens no mercado de trabalho, que integra a ordem de trabalhos da reunião de concertação social, convocada para hoje, a pedido do Gabinete do ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social.

De acordo com o documento enviado aos parceiros sociais, as empresas podem candidatar-se ao financiamento, com fundos europeus, de projetos que tenham como objetivo a eliminação de desigualdades salariais.

As recomendações do Governo são apresentadas na sequência de um relatório do ano passado que referia um diferencial salarial médio entre homens e mulheres de 18%, em desfavor das mulheres.

A Comissão Permanente de Concertação Social vai ainda discutir as alterações ao Fundo de Compensação do Trabalho e Fundo de Garantia de Compensação do Trabalho.

Esta será a última reunião plenária desta comissão presidida por Silva Peneda, que deixa o cargo quinta-feira, para assumir funções na Comissão Europeia.

  • Manuel Delgado demitiu-se devido a "grave violação da privacidade"

    País

    O ex-secretário de Estado da Saúde diz que apresentou a demissão para "não perturbar nem criar qualquer tipo de embaraço ao normal funcionamento do Governo". Num comunicado, Manuel Delgado esclarece que foi remunerado pelo trabalho de consultor na Raríssimas "muito antes" da entrada no Governo e acrescenta que respeitou na íntegra todo o quadro legal e ético.

  • O que vai mudar nos recibos verdes
    2:55

    Economia

    Os trabalhadores independentes vão descontar menos para a Segurança Social já no próximo ano. A taxa vai descer dos 29,6% por cento para os 21,4%. A descida será compensada por um aumento das contribuições pagas pelos patrões. Há também alterações em caso de desemprego e o subsídio de doença passa a ser pago ao fim de 10 dias em vez de 31.

  • Tripulantes da TAP acusam companhia de desrespeitar compromissos
    3:16

    Economia

    O Sindicato que representa os tripulantes da TAP acusa a empresa de estar a violar a lei. A companhia aérea portuguesa denunciou unilateralmente o acordo de empresa com os tripulantes e apresentou novas condições, que o sindicato considera indignas. Diz que os tripulantes fizeram esforços pela companhia no verão e que agora estão a ser desrespeitados.

  • Uma "Árvore da Esperança" pelas vítimas dos fogos
    2:01
  • Bebé nasce com coração fora do peito e sobrevive
    2:06
  • Zapatou volta a eleger os melhores vídeos da internet
    6:28