sicnot

Perfil

País

Ex-diretor-geral do MAI entre 12 arguidos acusados em processo de corrupção

 O Ministério Público deduziu acusação contra 12 arguidos, num processo que investigou adjudicações de obras públicas e que envolve um ex-diretor-geral do Ministério da Administração Interna (MAI), informou hoje a Procuradoria-Geral da República (PGR).

(SIC/ ARQUIVO)

(SIC/ ARQUIVO)

SIC

"Aos arguidos foram imputados, na acusação, vários crimes de corrupção ativa e passiva, participação económica em negócio, branqueamento, abuso de poder e falsificação de documento. Entre os acusados encontra-se um ex-diretor-geral de Infraestruturas e Equipamentos do MAI", lê-se numa nota enviada pela PGR.

O ex-diretor-geral de Infraestruturas e Equipamentos do MAI João Alberto Correia, detido a 29 de abril de 2014, a quem foi aplicada a prisão preventiva como medida de coação, há um ano, a 01 de maio, pelo juiz Carlos Alexandre, depois de ouvido no Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), fica agora sujeito a prisão domiciliária, com pulseira eletrónica.

"Em síntese, ficou indiciado que os arguidos atuaram concertadamente no sentido de beneficiar determinados empresários, mediante a adjudicação de contratos públicos em violação das normas da contratação pública e em prejuízo do princípio da livre concorrência", explica a nota da PGR.

O mesmo comunicado adianta que a investigação concluiu que, da conduta dos arguidos agora acusados, resultaram "prejuízos financeiros ao Estado, superiores a 909.660,98 euros".

"Os valores cobrados foram intencionalmente inflacionados, de modo a permitir a obtenção de mais-valias indevidas para os arguidos, incluindo o ex-director-geral da Direção-Geral de Infraestruturas e Equipamentos (DGIE)", refere a PGR, que acrescenta que o Ministério Público pediu indemnização para "reparação dos prejuízos causados ao erário público".

Das buscas no decurso do inquérito resultaram apreensões de "grande quantidade de documentos", nas instalações da DGIE. 

Foram também inquiridas cerca de 70 testemunhas numa investigação que contou com o apoio da Unidade Nacional de Combate à Corrupção da Polícia Judiciária.

Lusa
  • Autarca e duas jornalistas mortas a tiro na Finlândia 

    Mundo

    A presidente da Câmara de Imatra, na Finlândia, e duas jornalistas foram mortas a tiro na noite passada, na pequena cidade do sudeste do país. O incidente aconteceu junto a um restaurante e a polícia chegou ao local pouco depois dos disparos. Um suspeito de 23 anos já foi detido.

    Em desenvolvimento

  • Avião da Qatar Airways aterra de emergência nas Lages
    0:47

    País

    Aterrou de emergência nos Açores, esta manhã, um avião da Qatar Airways. A turbulência obrigou à manobra que causou pelo menos 10 feridos nos passageiro do avião que fazia ligação de Washington para Doha, capital do Qatar, e foi desviado para a base aérea das Lajes. Os passageiros desembarcaram, como registou no Twiiter um jornalista da Al-Jazzera que seguia a bordo. Segundo este depoimento, uma pessoa foi levada para o hospital com problemas cardíacos.

  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.