sicnot

Perfil

País

Mortes superam nascimentos em Portugal pelo sexto ano consecutivo

O número de mortes em Portugal superou em 2014 o número de nascimentos pelo sexto ano consecutivo, registando a população portuguesa menos 22.423 pessoas, segundo estatísticas divulgadas hoje pelo INE. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Carlos Barria / Reuters

Em 2014, registaram-se 82.367 nascimentos de crianças cujas mães eram residentes em Portugal, valor que representa uma quebra de 420 nados vivos relativamente a 2013 (-0,5 por cento).

 

O número de óbitos de residentes em território nacional foi de 104.790 (106.545 em 2013), na sua maioria de pessoas com 65 ou mais anos.

 

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a diferença entre os valores de nados vivos e os óbitos verificados resulta num saldo natural negativo de 22.423 (23.756 em 2013), o que acontece pelo sexto ano consecutivo.

 

O INE assinala, no entanto, que o decréscimo dos nascimentos em 2014 registou "menor intensidade do que nos três últimos anos: -4,5% em 2011, -7,2% em 2012 e -7,9% em 2013", para o que terá contribuído o nascimento no segundo semestre de 2014 de mais 1.024 crianças do que no período homólogo de 2013.

 

Contudo, sublinha o INE, esta evolução não foi suficiente para compensar o decréscimo de 1.444 nascimentos no primeiro semestre, que se traduziu numa quebra de 3,6 por cento face ao mesmo período de 2013.

 

Quase metade (49,3 por cento) do total de nascimentos ocorreu "fora do casamento" (47,6 por cento em 2013 e 38,1 por cento em 2009) e o número de nascimentos "fora do casamento sem coabitação dos pais" quase duplicou relativamente a 2009, passando de 7,9 por cento para 15,8 por cento.

 

Os dados do INE revelam ainda que aumentou o número de nascimentos de crianças de mães com 35 e mais anos de idade (7,9 pontos percentuais relativamente a 2009) e caiu o número de mães com menos de 20 anos (menos 1,4 pontos percentuais) e entre os 20 e os 34 anos (menos 6,7 pontos percentuais).

 

Entre 2009 e 2014, o mês de setembro foi aquele em que ocorreu o maior número de nascimentos de crianças enquanto o mês com menor número de nascimentos tem sido o mês de fevereiro.

 

Relativamente ao número de mortes, em 2014, registaram-se 104.790 óbitos de residentes em território nacional, representando uma redução de 1,6 por cento da mortalidade em relação a 2013.

 

Da totalidade de óbitos registados em 2014, 53.196 eram de homens e 51.594 de mulheres.

 

A maioria das mortes foi de pessoas com 65 e mais anos (84,1 por cento) e mais de metade (56,3 por cento) de pessoas com 80 e mais anos.

 

O mês de janeiro foi aquele em que se registaram mais mortes, seguido de dezembro.

 

 Lusa

 

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.