sicnot

Perfil

País

Sismo de 4,6 na ilha do Faial

 Um sismo de magnitude 4,6 na escala de Richter foi sentido hoje na ilha do Faial, Açores, sem que, até ao momento, se tenham registado danos pessoais ou materiais, informou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

IRWIN FEDRIANSYAH

De acordo com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), o sismo foi registado às 06:29 (07:29 em Lisboa) nas estações da Rede Sísmica do Arquipélago dos Açores.

O epicentro do sismo, de magnitude 4,6 na escala de Richter, foi registado a cerca de 35 quilómetros a oeste-noroeste da freguesia do Capelo, concelho da Horta, ilha do Faial.

Este sismo, de acordo com a informação disponível, até ao momento, não causou danos pessoais ou materiais e foi sentido com intensidade máxima IV (escala de Mercalli modificada) no concelho da Horta, ilha do Faial, e no município de Lajes do Pico, na ilha do Pico, segundo o IPMA.

A Rede Sísmica do Arquipélago dos Açores tinha registado na quarta-feira um sismo de magnitude 3,4 na escala de Richter na freguesia do Capelo, ilha do Faial, Açores.

Na quarta-feira, o Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores e a proteção civil açoriana revelaram que foram registados 160 sismos numa zona a oeste-noroeste da ilha do Faial desde 19 de abril, três deles sentidos pela população.

Segundo informação divulgada por aquelas duas entidades, desde 19 de abril que "tem vindo a ser registada alguma sismicidade" com epicentro entre 37 e 46 quilómetros a oeste-noroeste da ilha do Faial.

Segundo o Centro de Informação, a zona em causa fica numa "faixa de maior atividade sísmica situada entre 15 e 50 quilómetros a oeste da ilha do Faial que já foi palco de significativa atividade sísmica no passado".

"O desenvolvimento deste episódio de maior atividade sísmica tem vindo a ser continuamente acompanhado pelo CIVISA e pela proteção civil açoriana e nova informação será disponibilizada caso se verifiquem alterações ao padrão assinalado", acrescentam as duas entidades.

  • Marido de idosa que morreu na Sertã teve de caminhar durante duas horas para pedir ajuda
    1:44

    País

    A Altice garantiu esta sexta-feira que tentou agendar, por duas vezes, a reposição da linha telefónica na casa da idosa da Sertã, que morreu na semana passada por não ter comunicações que permitissem um socorro rápido. A mulher sentiu-se mal e o marido teve de caminhar durante duas horas para conseguir chegar à casa do vizinho mais próximo e pedir ajuda.

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Como é que alguém (Rúben Semedo) com tanto pode perder tudo?
    3:05
  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00