sicnot

Perfil

País

Atividade sísmica no Faial registou hoje mais de 50 eventos

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) e a proteção civil açoriana informaram que a atividade sísmica no Faial registou hoje "uma maior persistência", com "mais de meia centena de eventos" durante o dia.

"Desde as 14:00 horas de hoje tem-se vindo a verificar uma maior persistência da atividade sísmica nesta região, traduzida por um ligeiro incremento no número de eventos registados por hora", adianta um comunicado divulgado hoje à noite pela Proteção Civil dos Açores, acrescentando que "o número de eventos registados até às 19:00 horas, é de cerca de 55".

Desde 19 de abril, início desta atividade, já foram registados "cerca de 245 eventos", numa "zona a oeste-noroeste da ilha do Faial, três deles sentidos pela população", segundo aquelas duas entidades.

De acordo com o CIVISA, "a sismicidade tem vindo a ser registada numa região epicentral situada entre 37 e 46 quilómetros a oeste/noroeste da ilha do Faial e esta atividade foi desencadeada na sequência da ocorrência dos sismos registados no dia 19, às 22:02 horas, com magnitude 4,3 e no dia 24, às 22:14 horas, com magnitudes 4,7". 

Estes sismos "foram sentidos na ilha do Faial com intensidade máxima IV na Escala de Mercalli Modificada e também foram sentidos nas ilhas do Pico e de S. Jorge. Desde essa altura foram sentidos outros três sismos nos dias 29 e 30 de abril e hoje, tendo o de maior magnitude ocorrido a 30 de abril, às 06:30 horas, com magnitude 4,3. Este sismo foi sentido na ilha do Faial com intensidade máxima IV e no Pico", explicam.

"Tratando-se de uma região onde é habitual verificar-se alguma sismicidade, a atividade registada enquadrou-se no padrão associado à sequência sismo principal/réplicas revelando o gradual decaimento em frequência e magnitude", explica ainda CIVISA e a proteção civil açoriana.

 No entanto, indicam ainda que "não foi registado qualquer evento nesta região epicentral no dia 28 de abril".

De acordo com o CIVISA, a região em causa "enquadra-se numa faixa de maior atividade sísmica situada entre 15 e 50 quilómetros a oeste da ilha do Faial" que "já foi palco de significativa atividade sísmica no passado", nomeadamente a "crise sísmica de 1992-1993" e "a atividade ocorrida em março e maio de 2010".

O CIVISA "continua a acompanhar o evoluir da situação", enquanto a proteção civil açoriana recomenda "a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção" para estas situações.

Teresa Ferreira, do CIVISA, disse à Lusa na quinta-feira que este tipo de atividade sísmica não é aquela que é mais frequente nos Açores e que se carateriza por uma atividade persistente de baixa magnitude, havendo, ocasionalmente, um sismo maior.

Ainda assim, a responsável pelo CIVISA explicou que é algo que "vai ocorrendo", sendo uma forma de, "por setores", se ir libertando energia.

Lusa
  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57

    País

    Tondela foi um dos municípios mais atingidos pelo incêndio, deixando dezenas de animais feridos e perdidos no concelho. Várias clínicas veterinárias são agora um porto de abrigo e, em alguns casos, um ponto de encontro. Muitos dos animais chegaram recolhidos por voluntários e a maior parte dos casos são animais que, no momento de aflição, foram soltos pelos donos e salvos pelo instituto de sobrevivência.

  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31