sicnot

Perfil

País

Código de conduta é "desnecessário", refere o Sindicato dos Funcionários Judiciais

O presidente do Sindicato dos Funcionários Judiciais classificou hoje de "inútil e desnecessário" o código de conduta publicado na página da Direção-Geral da Administração da Justiça (DGAJ), que impõe regras de comportamento aos trabalhadores, desvalorizando o documento.

(SIC/ Arquivo)

(SIC/ Arquivo)

"Os oficiais de justiça, na maioria das situações, até desconheciam que o código se encontrava lá na página da DGAJ e desvalorizamos completamente. Achamos que é um documento inútil e desnecessário e que acaba em alguns aspetos a cair no ridículo", disse Fernando Jorge à agência Lusa.


Segundo a edição de hoje do Diário de Noticias, o diretor-geral da Administração da Justiça, Pedro Lima Gonçalves, assinou uma circular, publicada na página oficial da DGAJ, na qual, entre outras medidas, proíbe os funcionários judiciais de prestar informações à comunicação social, de falar alto no trabalho e de ter som no telemóvel, além de obrigar colegas a denunciar infratores.


Fernando Jorge sublinhou que se trata de "um código que não preocupa os funcionários judiciais" e que, até ao momento, não houve nenhuma situação decorrente da aplicação do documento relativamente aos oficiais de justiça, desabafando que o mesmo será "uma necessidade de apresentar serviço, como se costuma dizer".



O sindicalista lembrou ainda que os funcionários judiciais estão sujeitos a regras e normas que obedecem desde sempre, reiterando a existência de um controlo que é imposto pelos códigos processuais dos tribunais, nomeadamente a figura do Segredo de Justiça.


"Em alguns aspetos, parece um regulamento para uma escola ou colégio interno, os tribunais não se compadecem com regulamentos escolares, são sítios onde todos os dias há conflitualidade. É por isso mesmo que existem os tribunais, porque existem conflitos e as normas de funcionamento dos tribunais são diferentes daquelas que são para muitos organismos da Administração Pública", frisou.


Segundo Fernando Jorge, o código de ética e conduta baseia-se numa orientação genérica "que o Governo deu para a Administração Pública há dois ou três anos", desconhecendo porque é que apareceu agora novamente a público.


Para o sindicalista, a obrigatoriedade dos colegas denunciarem um infrator já acontece, lembrando que as situações de "anormalidade ou de eventuais más atitudes que configurem qualquer ilícito criminal" devem ser denunciadas por qualquer pessoa, " mais ainda se for funcionário publico".


Lusa
  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.

  • Pensões vão subir em janeiro

    Economia

    As pensões vão subir entre 1 e 1,8% em janeiro próximo. O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou esta quinta-feira o valor da inflação, que vai definir a atualização das reformas em 2018.

  • Investigação australiana recomenda fim do celibato na Igreja Católica

    Mundo

    Uma investigação australiana sobre abuso sexual de crianças recomendou hoje à Igreja Católica que levante a exigência de celibato ao clero, de acordo com o relatório final. O mesmo documento, com 189 recomendações e 17 volumes, indicou que deve também ser esclarecido até onde vai o segredo da confissão quando estão em causa provas de crimes contra menores.

  • Trabalhos de estabilização de solos nas áreas ardidas começam na Lousã
    1:24

    País

    Vários concelhos afetados pelos incêndios estão a começar a receber uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas. O trabalho arrancou esta quinta-feira na zona da Lousã e tem como objetivo reduzir o impacto da chuva nos terrenos afetados pelos fogos. Nos trabalhos, estão presentes o Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro e a Força Especial de Bombeiros.

  • Anúncio de lince ibérico no OLX sob investigação
    1:25

    País

    A GNR está a investigar um anúncio de venda de um lince ibérico no site de classificados OLX. As autoridades admitem poder tratar-se de uma bricandeira, mas sendo o lince uma espécie protegida e a sua captura e venda um crime, o caso está a ser investigado. O anúncio foi entretanto retirado do site.