sicnot

Perfil

País

Mensagens escritas de Costa e Portas marcaram debate quinzenal

Mensagens escritas de Costa e Portas marcaram debate quinzenal

Pedro Passos Coelho reagiu esta quarta-feira à polémica sobre o meio usado por Paulo Portas para se demitir, no verão de 2013, afirmando que nunca na vida enxovalhou ninguém, "muito menos o líder do principal partido da oposição", numa troca involuntária de estatuto ao líder do CDS. O primeiro-ministro reagia a uma provocação de Catarina Martins, durante o debate quinzenal desta quarta-feira, na Assembleia da República, onde as mensagens de telemóvel assumiram protagonismo político.

  • CDS esclarece que Portas não pediu demissão por SMS
    3:39

    País

    Pela primeira vez., Pedro Passos Coelho explica o que aconteceu na crise política de 2013, numa versão que já está a provocar incómodo no CDS. Na biografia autorizada, lançada esta terça-feira, o primeiro-ministro revela, por exemplo, que foi informado da demissão de Paulo Portas por SMS. Uma versão da história que contrasta com a informação revelada pela SIC, há um ano, numa das reportagens que retratavam os dias da troika em Portugal. O gabinete de imprensa do CDS enviou uma nota sobre o conteúdo da biografia de Passos Coelho, onde o partido esclarece que o pedido de demissão foi formalizado por carta, sem fazer qualquer referência a um eventual SMS. Paulo Portas admite que se terá tratado de um "lapso" da autora, ao qual não atribuiu importância.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15