sicnot

Perfil

País

Supremo confirma 11 anos de prisão para mulher que matou marido à facada em Braga

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a condenação a 11 anos de prisão de uma mulher que em maio de 2013 matou o companheiro à facada, em S. Vicente, Braga, informou hoje a Procuradoria-Geral Distrital do Porto.

Rodrigo Abd

Aquela pena tinha sido aplicada pelo Tribunal de Braga, mas a defesa da arguida recorreu, primeiro para a Relação e depois para o STJ, mas em ambos os casos sem qualquer resultado.

A arguida, de 50 anos, foi condenada por homicídio simples.

O tribunal considerou que ela não agiu com especial perversidade e censurabilidade, apesar da violência com que desferiu a facada no abdómen do companheiro.

O coletivo de juízes no Tribunal de Braga sublinhou ainda o historial de violência entre o casal, com agressões mútuas, resultante do consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

A arguida e a vítima viveram 13 anos juntos, numa relação pautada por agressões mútuas.

O tribunal considerou que o homem era quem apresentava sempre mais mazelas, por ser "muito menos corpulento" do que a mulher.

Esta já o teria agredido anteriormente com um martelo e com uma facada num braço.

No dia dos factos, 14 de maio de 2013, e ainda segundo o tribunal, os dois estavam de novo sob o efeito do álcool: o homem tinha uma taxa de alcoolemia de 1,16 gramas por litro de sangue e a mulher de 0,98.

No meio de mais uma discussão, ele ter-lhe-á atirado o vinho que tinha num copo e ela respondeu dando-lhe uma facada no abdómen, num movimento "rápido e violento".

Usou uma faca de cozinha com uma lâmina de 10 centímetros de comprimento.

O tribunal considerou que ela agiu com intenção de matar, tendo atuado com dolo direto e com ilicitude elevada.

No entanto, os juízes valoraram o facto de a arguida, ao ver o companheiro no chão a esvair-se em sangue, ter ligado para o 112 a pedir auxílio e ter sido ela mesma a prestar-lhe os primeiros socorros.

O homem foi transportado para o hospital ainda com vida, mas acabou por morrer no decurso da operação cirúrgica a que estava a ser submetido.

A arguida vai ainda ter de pagar 5.340 euros ao hospital.

Lusa
  • Novo dia de protestos contra expropriações na ilha do Farol
    2:30

    País

    A sociedade Polis Ria Formosa concluiu a tomada de posse das construções identificadas como ilegais na ilha do Farol, na Ria Formosa, em Faro. No segundo dia da operação, sob fortes protestos da população, os técnicos da Polis, escoltados pela Polícia Marítima, expropriaram hoje mais 18 construções.

  • Cunhado do Rei de Espanha em liberdade sem caução

    Mundo

    Inaki Urdangarin vai mesmo aguardar o desenrolar do recurso em liberdade na Suíça, onde o marido da Infanta Cristina tem residência oficial e onde terá de se apresentar às autoridades uma vez por mês, para além de estar obrigado a comunicar qualquer deslocação fora da Europa. De fora fica ainda o pagamento da caução de 200 mil euros pedida pelo Ministério Público espanhol.

  • Zeca Afonso morreu há 30 anos
    1:11
  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • "Isto é uma mentira e tem carimbo de Estado"
    2:12

    Opinião

    O preço das botijas de gás em Portugal duplicou nos últimos 15 anos. José Gomes Ferreira esteve no Jornal da Noite, da SIC, onde explicou este aumento, lembrando que a classe política prometeu que se houvesse mais empresas a operar no mercado, os preços desciam. Contudo, José Gomes Ferreira diz que "isto é uma mentira e tem carimbo de Estado". O Diretor-Adjunto de Informação SIC explicou que como o mercado é livre, os operadores vendem aos preços mais altos que podem, deste modo os preços não variam muito entre uns e outros.

    José Gomes Ferreira