sicnot

Perfil

País

Incêndios florestais aumentaram cinco vezes este ano

Os incêndios florestais mais do que quintuplicaram este ano em relação a 2014, tendo-se registado 4320 fogos desde o início de 2015, segundos dados enviados à agência Lusa pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC). 

Este ano ocorreram dois incêndios que ultrapassaram os 500 hectares de área florestal ardida, tendo um deles, o que deflagrou em Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real, durado mais do que 24 horas. (Arquivo)

Este ano ocorreram dois incêndios que ultrapassaram os 500 hectares de área florestal ardida, tendo um deles, o que deflagrou em Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real, durado mais do que 24 horas. (Arquivo)

© Rafael Marchante / Reuters

A ANPC, que cita dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), entidade que compila a informação relativa às ocorrências, adianta que se registaram, até 05 de maio, 4.320 incêndios florestais, mais 3.474 do que no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 846 fogos.

Numa resposta enviada à Lusa, a ANPC refere que a maioria dos incêndios tem sido de pequena dimensão devido "à pronta intervenção dos bombeiros no seu combate", que evita a sua propagação e reduz os danos ao nível da perda de floresta.

Este ano ocorreram dois incêndios que ultrapassaram os 500 hectares de área florestal ardida, tendo um deles, o que deflagrou em Vila Pouca de Aguiar, distrito de Vila Real, durado mais do que 24 horas, acrescenta a ANPC. 

De acordo com a Proteção Civil, a causa da grande maioria dos incêndios verificados este ano resulta de causas negligentes relacionadas com "más práticas de uso do fogo na realização de queimas para limpeza de sobrantes de explorações agrícolas e queimadas para renovação de pastagens em áreas de alta montanha".   

 A ANPC adianta ainda que este ano sofreram ferimentos ligeiros 39 bombeiros durante o combate aos incêndios florestais, designadamente escoriações, intoxicações e má disposição.

Os 4.320 fogos ocorreram antes de ter início a fase Bravo de combate a incêndios florestais, a segunda mais crítica, que começa na sexta-feira e se prolonga até 30 de junho.

Para a fase Bravo, vão estar mobilizados 6.583 operacionais, 1541 viaturas, 34 meios aéreos, segundo o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para 2015.    

Os meios aéreos vão estar disponibilizados de forma faseada, estando operacionais, a partir de sexta-feira, oito, que vão aumentando durante o mês de junho até atingirem os 34 a 20 de junho.

A fase mais crítica em fogos florestais, a fase charlie, vai ocorrer entre 01 de julho e 30 de setembro, que contará com um total de 2050 veículos, 9721 operacionais e 49 meios aéreos, um dispositivo idêntico ao de 2014.

No ano passado, o total da área ardida foi de 19.867 hectares, o segundo valor mais baixo dos últimos 35 anos, e registaram-se 7.186 ocorrências de fogo, o valor mais baixo dos últimos 25 anos.
Lusa
  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.