sicnot

Perfil

País

Fase Bravo arranca hoje

A fase Bravo de combate a incêndios florestais, a segunda mais crítica, tem início hoje, numa altura em que o número de fogos já aumentou cinco vezes face ao mesmo período do ano passado.

© Rafael Marchante / Reuters


Para a fase Bravo, que se prolonga até 30 de junho, vão estar mobilizadas, no total, 1.541 equipas compostas por 6.583 operacionais e 1.541 viaturas, segundo o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Florestais (DECIF) para 2015.

No próximo mês e meio, vão estar ainda operacionais 34 meios aéreos e 70 postos de vigia da responsabilidade da GNR.

Os meios aéreos vão estar disponibilizados de forma faseada, estando operacionais, a partir de sexta-feira, oito, aumentando depois, durante o mês de junho, até atingirem os 34, a 20 de junho.

O DECIF deste ano está orçado em cerca de 80 milhões de euros e foi reforçado com 17 equipas de combate a incêndios florestais e três equipas de intervenção permanente, no distrito de Viana do Castelo.

O secretário de Estado da Administração Interna, João Pinho de Almeida, vai estar hoje, no distrito de Viana do Castelo, para assinar os protocolos de criação das equipas de intervenção permanente nos concelhos de Monção, Arcos de Valdevez e Ponte de Lima.

O DECIF tem como objetivo operacional a segurança dos elementos envolvidos no combate aos incêndios florestais e só depois a redução da área ardida e do número de reacendimentos.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) apostou este ano também na formação, tendo desenvolvido 259 ações de treino operacional que envolveram 5.293 operacionais.

Os incêndios florestais mais do que quintuplicaram este ano em relação a 2014, tendo-se registado 4.320 fogos desde o início de 2015, segundo dados enviados à agência Lusa pela ANPC. 

A ANPC, que cita dados do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), entidade que colige a informação relativa às ocorrências, adianta que se registaram, até 05 de maio, 4.320 incêndios florestais, mais 3.474 do que no mesmo período do ano passado, quando ocorreram 846 fogos.

No ano passado, o total da área ardida foi de 19.867 hectares, o segundo valor mais baixo dos últimos 35 anos, e registaram-se 7.186 ocorrências de fogo, o valor mais baixo dos últimos 25 anos.

Antes da época crítica de incêndios florestais vai entrar em vigor a lei do financiamento das corporações de bombeiros, que foi aprovada na semana passada em Conselho de Ministro, e que representa um reforço aos bombeiros voluntários superior a 10 por cento.


  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Tomada de posse de Trump com mais medidas de segurança que o habitual
    1:43
  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.

  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.