sicnot

Perfil

País

Monchique e de Mação em risco máximo de incêndio

Os concelhos de Monchique, no distrito de Faro, e de Mação, em Santarém, apresentam hoje risco máximo de incêndio, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

© Ognen Teofilovski / Reuters


IPMA colocou em risco muito elevado de incêndio os concelhos de Oleiros, Vila de Rei (Castelo Branco), do Sabugal (Guarda), Vila Nova da Barquinha, Abrantes (Santarém), Castelo de Vide, Gavião e Ponto de Sor (Portalegre).

Segundo informação publicada no 'site' do IPMA, estão também em risco muito elevado de incêndio os concelhos de Santiago do Cacém (Setúbal), Barrancos, Odemira (Beja), Aljezur, Lagos, Vila do Bispo, Portimão, Silves, Loulé e Alcoutim (Faro) 

Há ainda vários concelhos da Guarda, Castelo Branco, Portalegre, Évora, Beja e Faro em risco elevado de incêndio.

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou no sábado 46 incêndios que foram combatidos por 785 operacionais, com o apoio de 224 veículos

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera prevê para hoje céu pouco nublado ou limpo, vento fraco a moderado e pequena subida de temperatura.

As temperaturas máximas previstas para hoje são de 33 graus celsius em Lisboa, 27 no Porto e 31 em Faro.


  • Caixa multibanco assaltada em Portugal a cada dois dias
    2:43

    País

    O semanário Expresso conta que a mulher que morreu vítima de um disparo de agentes da PSP foi atingida pelas costas. O caso está a ser investigado pela PJ, que procura encaixar as peças da noite que acabou com uma morte inocente mas que começou com uma perseguição a um grupo de assaltantes de um multibanco. Assaltos que são cada vez mais comuns e que preocupam o Governo. A cada dois dias, uma caixa é assaltada.

  • Metro de Lisboa vai reduzir consumo de água

    País

    O Metro de Lisboa colocou em prática um programa para reduzir o consumo de água devido à situação de seca em Portugal, respondendo assim ao apelo do Ministério do Ambiente, segundo um comunicado divulgado este sábado.