sicnot

Perfil

País

Direito do Consumo exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo (APDC) exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas na comunicação social, cujo tema vai ser debatido em Gaia, no dia 29, numa conferência internacional."As infrações sucedem-se e as televisões dão pontapés à lei sem controlo, ao promover bebidas alcoólicas a qualquer hora do dia", denuncia o presidente da associação Mário Frota, aludindo às referências a marcas de cerveja ou de vinho em vários programas televisivos.A APDC recorda que, segundo o Código da Publicidade, é expressamente proibida a promoção a bebidas alcoólicas na televisão e na rádio, entre as 07:00 e as 22:30.Para Mário Frota, "estas transgressões são muito graves e a Direção-Geral do Consumidor tem de estar mais atenta, bem como a Entidade Reguladora da Comunicação Social, no que se prende com a proteção dos menores"."As restrições à venda são sempre muito pouco eficazes, tanto na Chicago de Al Capone como nos dias de hoje. A proteção aos mais jovens tem de começar na proibição dos apelos ao consumo no espaço público, ou seja, na publicidade", sublinhou.O presidente da APDC considera que as recentes alterações à Lei do Álcool são "manifestamente insuficientes" para travar o acesso dos mais jovens e que falta também fiscalização à promoção publicitária das bebidas.A conferência internacional "Bebidas Alcoólicas & Meios de Comunicação Social", a realizar no dia 29, no auditório da Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto, em Vila Nova de Gaia, a partir das 09:00, será presidida por Mário Frota.A iniciativa, organizada pela APDC, junta especialistas nacionais e internacionais para analisar estratégias para a prevenção do consumo de álcool e abordar as políticas adotadas na União Europeia.Entre os conferencistas estão o conselheiro do Comité Económico e Social Europeu, Jorge Pegado Liz, e do presidente da Entidade Reguladora da Comunicação Social, Carlos Magno.

© Ilya Naymushin / Reuters

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo (APDC) exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas na comunicação social, cujo tema vai ser debatido em Gaia, no dia 29, numa conferência internacional.

"As infrações sucedem-se e as televisões dão pontapés à lei sem controlo, ao promover bebidas alcoólicas a qualquer hora do dia", denuncia o presidente da associação Mário Frota, aludindo às referências a marcas de cerveja ou de vinho em vários programas televisivos.

A APDC recorda que, segundo o Código da Publicidade, é expressamente proibida a promoção a bebidas alcoólicas na televisão e na rádio, entre as 07:00 e as 22:30.

Para Mário Frota, "estas transgressões são muito graves e a Direção-Geral do Consumidor tem de estar mais atenta, bem como a Entidade Reguladora da Comunicação Social, no que se prende com a proteção dos menores".

"As restrições à venda são sempre muito pouco eficazes, tanto na Chicago de Al Capone como nos dias de hoje. A proteção aos mais jovens tem de começar na proibição dos apelos ao consumo no espaço público, ou seja, na publicidade", sublinhou.

O presidente da APDC considera que as recentes alterações à Lei do Álcool são "manifestamente insuficientes" para travar o acesso dos mais jovens e que falta também fiscalização à promoção publicitária das bebidas.

A conferência internacional "Bebidas Alcoólicas & Meios de Comunicação Social", a realizar no dia 29, no auditório da Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto, em Vila Nova de Gaia, a partir das 09:00, será presidida por Mário Frota.

A iniciativa, organizada pela APDC, junta especialistas nacionais e internacionais para analisar estratégias para a prevenção do consumo de álcool e abordar as políticas adotadas na União Europeia.

Entre os conferencistas estão o conselheiro do Comité Económico e Social Europeu, Jorge Pegado Liz, e do presidente da Entidade Reguladora da Comunicação Social, Carlos Magno.



  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".