sicnot

Perfil

País

Direito do Consumo exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo (APDC) exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas na comunicação social, cujo tema vai ser debatido em Gaia, no dia 29, numa conferência internacional."As infrações sucedem-se e as televisões dão pontapés à lei sem controlo, ao promover bebidas alcoólicas a qualquer hora do dia", denuncia o presidente da associação Mário Frota, aludindo às referências a marcas de cerveja ou de vinho em vários programas televisivos.A APDC recorda que, segundo o Código da Publicidade, é expressamente proibida a promoção a bebidas alcoólicas na televisão e na rádio, entre as 07:00 e as 22:30.Para Mário Frota, "estas transgressões são muito graves e a Direção-Geral do Consumidor tem de estar mais atenta, bem como a Entidade Reguladora da Comunicação Social, no que se prende com a proteção dos menores"."As restrições à venda são sempre muito pouco eficazes, tanto na Chicago de Al Capone como nos dias de hoje. A proteção aos mais jovens tem de começar na proibição dos apelos ao consumo no espaço público, ou seja, na publicidade", sublinhou.O presidente da APDC considera que as recentes alterações à Lei do Álcool são "manifestamente insuficientes" para travar o acesso dos mais jovens e que falta também fiscalização à promoção publicitária das bebidas.A conferência internacional "Bebidas Alcoólicas & Meios de Comunicação Social", a realizar no dia 29, no auditório da Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto, em Vila Nova de Gaia, a partir das 09:00, será presidida por Mário Frota.A iniciativa, organizada pela APDC, junta especialistas nacionais e internacionais para analisar estratégias para a prevenção do consumo de álcool e abordar as políticas adotadas na União Europeia.Entre os conferencistas estão o conselheiro do Comité Económico e Social Europeu, Jorge Pegado Liz, e do presidente da Entidade Reguladora da Comunicação Social, Carlos Magno.

© Ilya Naymushin / Reuters

A Associação Portuguesa de Direito do Consumo (APDC) exige maior fiscalização na promoção de bebidas alcoólicas na comunicação social, cujo tema vai ser debatido em Gaia, no dia 29, numa conferência internacional.

"As infrações sucedem-se e as televisões dão pontapés à lei sem controlo, ao promover bebidas alcoólicas a qualquer hora do dia", denuncia o presidente da associação Mário Frota, aludindo às referências a marcas de cerveja ou de vinho em vários programas televisivos.

A APDC recorda que, segundo o Código da Publicidade, é expressamente proibida a promoção a bebidas alcoólicas na televisão e na rádio, entre as 07:00 e as 22:30.

Para Mário Frota, "estas transgressões são muito graves e a Direção-Geral do Consumidor tem de estar mais atenta, bem como a Entidade Reguladora da Comunicação Social, no que se prende com a proteção dos menores".

"As restrições à venda são sempre muito pouco eficazes, tanto na Chicago de Al Capone como nos dias de hoje. A proteção aos mais jovens tem de começar na proibição dos apelos ao consumo no espaço público, ou seja, na publicidade", sublinhou.

O presidente da APDC considera que as recentes alterações à Lei do Álcool são "manifestamente insuficientes" para travar o acesso dos mais jovens e que falta também fiscalização à promoção publicitária das bebidas.

A conferência internacional "Bebidas Alcoólicas & Meios de Comunicação Social", a realizar no dia 29, no auditório da Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Instituto Politécnico do Porto, em Vila Nova de Gaia, a partir das 09:00, será presidida por Mário Frota.

A iniciativa, organizada pela APDC, junta especialistas nacionais e internacionais para analisar estratégias para a prevenção do consumo de álcool e abordar as políticas adotadas na União Europeia.

Entre os conferencistas estão o conselheiro do Comité Económico e Social Europeu, Jorge Pegado Liz, e do presidente da Entidade Reguladora da Comunicação Social, Carlos Magno.



  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22