sicnot

Perfil

País

Polícia deteve três suspeitos de assassinar português na Venezuela

A polícia venezuelana confirmou hoje ter detido três pessoas - dois homens e uma mulher -, suspeitas de intercetar e matar a tiro um mecânico luso-venezuelano de 26 anos de idade.

(SIC/ Arquivo)

Segundo o comissário geral Luís Ollarves, da Divisão Contra Homicídios do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária), a detenção dos suspeitos teve lugar durante uma rusga efetuada a um apartamento do complexo residencial Arsenal, a oeste da cidade de Maracay, 100 quilómetros a oeste de Caracas.

Um dos detidos, Isaac España Díaz, de 29 anos, conhecido pelo apodo de "El Musiú", é suspeito de ser o autor material do assassinato, no qual teriam colaborado Eduin Manuel Alvarado Márquez, de 27 anos, conhecido como "El Eduin" e Desiree Carolina España Díaz, de 28 anos.

Durante a rusga os funcionários confiscaram peças da viatura do luso-venezuelano, conseguindo evidências que relacionam os detidos com vários roubos de viaturas na cidade de Maracay.

Na tarde de 12 de maio, a vítima, Daniel Eduardo Gouveia Rojas, mecânico, estacionou o seu carro em frente de casa enquanto tinha ido buscar roupa para trabalhar e ao sair da sua residência foi intercetado pelos assaltantes que o balearam, fugindo depois com a sua viatura.

O luso-venezuelano foi transportado para o Hospital de Los Samanes, onde viria a morrer cerca de uma hora depois.

Na Venezuela a insegurança é apontada como uma das principais preocupações dos cidadãos e afeta tanto nacionais como estrangeiros radicados no país.


Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.