sicnot

Perfil

País

Crimes de abuso sexual de menores com número mais elevado da última década em 2014

O número de crimes de abuso sexual de crianças atingiu em 2014 a sua cifra mais elevada nos últimos 10 anos, tendo a Polícia Judiciária (PJ) iniciado 1335 inquéritos, revelou hoje o director nacional adjunto da PJ Pedro do Carmo.

(Arquivo)

(Arquivo)

Estes dados foram apresentados durante o seminário "Olhar Comum sobre a Criança", organizado pela Comissão Nacional de Protecção de Crianças e Jovens em Risco, que decorreu no auditório da PJ, com a presença da procuradora-geral da República, Joana Marques Vidal, entre outras figuras ligadas ao setor.

Segundo os dados hoje avançados, o número de inquéritos/investigações iniciados em 2014 pela PJ ultrapassa os valores registados em 2013 (1227 inquéritos) e 2012 (1074). Em 2005, o número de inquéritos foi de 909.

Quanto às violações de menores, o número mantém-se acima da centena por ano, com 119 casos registados em 2014, 114 em 2013 e 134 em 2012. Em 2005, o número de casos foi de 77.

Relativamente aos crimes de pornografia de menores, depois de ter descido de 318, em 2012, para 94, em 2013, voltou a subir, em 2014, para 242 inquéritos iniciados pela PJ.

Também o número de detenções efetuadas pela PJ por abuso sexual de crianças, pornografia de menores e violação, aumentou, passando de 140, em 2012, e 97, em 2013, para 189, em 2014.

Durante este ano e até ao mês de abril, a PJ deteve 64 pessoas por estes crimes, adiantou.

Segundo o diretor nacional adjunto da PJ, estes números podem ser explicados por uma "maior proatividade das autoridades e maior consciencialização da comunidade" sobre este tipo de crime.

"É, precisamente, a gravidadee persistência do fenómeno que, a nosso ver, justifica de forma plena o desenvolvimento de novas estratégias a envolverem um número alargado de entidades, todas solenemente comprometidas na defesa dos interesses das nossas crianças e jovens", disse Pedro do Carmo.

Lusa
  • "É ilusão achar que se pode voltar ao ponto em que começou a crise. Isso não há!"
    0:58
  • "O polvo está perfeitamente à rasca"
    1:45