sicnot

Perfil

País

Ministro acredita que médicos reformados vão voltar ao SNS

O ministro da Saúde disse hoje acreditar que os médicos reformados vão regressar ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), classificando as condições que o Estado oferece a estes profissionais como "únicas".

(Lusa/ Arquivo)

(Lusa/ Arquivo)

ANTÓNIO COTRIM / LUSA

"Estas condições são únicas. Não há mais nenhum português que seja convidado pelo Estado a ter estas condições de remuneração", disse Paulo Macedo aos jornalistas no final da Conferência anual do Infarmed, que decorre em Lisboa.


A propósito do anúncio que o seu ministério fez na terça-feira para contratar até 400 médicos reformados, os quais podem acumular a pensão com um terço da remuneração que corresponda às funções que vão desempenhar, a tempo inteiro ou parcial, Paulo Macedo explicou que "o Estado abre esta exceção, precisamente porque os portugueses precisam" destes clínicos.


O ministro acredita que os médicos reformados "querem voltar" com as condições apresentadas, referindo que ao estado cabe "convidá-los a regressar".


Questionado sobre se o Estado não terá levado os médicos a reformarem-se antecipadamente, o ministro disse que estes profissionais, tal como os outros funcionários públicos, têm vindo a reformar-se antes dos 65 anos.


"Os médicos têm condições que outros portugueses não têm. Têm pleno emprego, porque os portugueses precisam deles", sublinhou Paulo Macedo, recordando que até agora cerca de cem clínicos tinham optado por regressar ao SNS, após a reforma.


Segundo Paulo Macedo, "o Estado está a fazer um esforço adicional para dar uma melhor remuneração aos médicos, porque precisa" deles. 


O ministro ressalvou, contudo, que esta é apenas uma das medidas que o Executivo tem vindo a concretizar com vista a todos os portugueses terem médico de família, como o recrutamento de todos os clínicos após a sua especialidade, entre outras.


De acordo com o despacho que autoriza a contratação de médicos reformados, publicado na terça-feira em Diário da República, os médicos aposentados que forem contratados para o SNS podem acumular a pensão com um terço da remuneração que corresponda às funções que vão desempenhar, a tempo inteiro ou parcial.


Em comunicado, o Ministério da Saúde adianta que estão em formação 1.753 médicos da especialidade de Medicina Geral e Familiar, encontrando-se a aguardar colocação 237 recém-formados, que, "tudo indica, entrarão no concurso que está a decorrer".


Para o fim do ano, "está previsto novo concurso para os 112 especialistas que se formam na segunda fase", acrescenta a nota.


De acordo com a tutela, faltam 652 médicos de família, dos quais 421 na região de Lisboa e Vale do Tejo, que, com o Algarve, é a zona com menor número destes profissionais.


O comunicado precisa que, dos dez milhões de utentes inscritos nos centros de saúde, um milhão e 283 mil não têm médico de família.



Lusa
  • Atentados na Catalunha estão relacionados, 14 mortos

    Ataque em Barcelona

    Uma pessoa morreu e cinco suspeitos foram abatidos num segundo ataque esta madrugada em Espanha, depois do atentado de ontem que fez 13 mortos em Barcelona. As operações de busca centram-se num nome: Moussa Oukabir. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Driss Oukabir: suspeito do atentado ou vítima de roubo de identidade?
    2:40

    Ataque em Barcelona

    Um dos dois suspeitos, do ataque nas Ramblas, detidos pela polícia foi inicialmente identificado como Driss Oukabir, um homem de 28 anos. Mais tarde, um homem com o mesmo nome apresentou-se numa esquadra em Girona, a mais de 100 quilómetros do local do atropelamento afirmando que lhe tinha sido roubada a identificação. De acordo com alguma imprensa espanhola, poderá ter sido o irmão, Moussa Oukabir, um jovem de 18 anos que vive em Barcelona, como explicou também Nuno Rogeiro, comentador da SIC.

  • "Nas Ramblas, é como se nada tivesse acontecido"
    1:35

    Ataque em Barcelona

    Um atentado terrorista em Barcelona matou 13 pessoas e feriu cerca de 100. O ataque aconteceu na zona das Ramblas, quando uma carrinha avançou sobre quem circulava nessa grande via no centro da capital da Catalunha. O repórter Emanuel Nunes está em Barcelona e deu conta do regresso à normalidade nas Ramblas, logo às primeiras horas da manhã.

  • Barcelona abalada pelo terrorismo
    1:03
  • "O abandono provoca incêndios desta dimensão"
    0:55

    País

    O antigo vereador da Câmara de Mação José Silva acredita que a desertificação do interior também é, em parte, responsável pelos incêndios. Segundo José Silva, Mação tem cada vez menos habitantes e é por essa razão que os terrenos são deixados ao abandono.

  • Mação perdeu 80% da área florestal
    3:39
  • Médicos e ministro da Saúde voltam hoje às negociações

    País

    O Ministério da Saúde deverá apresentar uma proposta que poderá ser decisiva para a convocação ou não de uma nova greve. O Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional de Médicos tinham anunciado, no dia 11 de agosto, que vão realizar uma greve de dois dias na primeira semana de outubro, se a nova proposta negocial não levar em conta o que reivindicam.