sicnot

Perfil

País

Primeiro-ministro acusa PS de prometer "milagres"

O primeiro-ministro e presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou esta quarta-feira o PS de prometer "milagres" aos eleitores, reiterando a convicção de que os socialistas não vão cumprir as regras da União Europeia.

Interpelado pelo PSD, no encerramento do debate quinzenal, no parlamento, Pedro Passos Coelho dedicou a sua intervenção a criticar "o desfiar de anúncios que vêm sendo feitos" pelo PS.

Interpelado pelo PSD, no encerramento do debate quinzenal, no parlamento, Pedro Passos Coelho dedicou a sua intervenção a criticar "o desfiar de anúncios que vêm sendo feitos" pelo PS.

TIAGO PETINGA / Lusa

Interpelado pelo PSD, no encerramento do debate quinzenal, no parlamento, Pedro Passos Coelho dedicou a sua intervenção a criticar "o desfiar de anúncios que vêm sendo feitos" pelo PS.

O primeiro-ministro defendeu que o Governo PSD/CDS-PP tem seguido um caminho prudente de crescimento da economia sem mais dívida, assente na atração de investimento, e dramatizou uma eventual inversão de rumo: "Conduzirão sempre o país ao desastre".

No dia em que o PS apresentou o seu projeto de programa eleitoral, as críticas aos socialistas foram lançadas pelo líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro.

O social-democrata falou em "milagre das rosas" para pôr em causa a credibilidade das promessas do PS, acusou os socialistas de estarem numa "deriva eleitoralista", com a mesma receita do passado, e comparou-os ao Syriza ao falar em "versão portuguesa do conto de crianças" - expressão que Passos Coelho tinha utilizado para comentar o programa do Governo grego.

"Vejam bem, em meia dúzia de dias, o PS já prometeu baixar o IVA, baixar o IRS, baixar a Taxa Social Única, voltar às 35 horas, repor os feriados, subir o salário mínimo nacional, desfazer todas as reformas estruturais e, claro, lançar já as bases para o regresso de um novo programa de investimento público desenfreado. É isto que o PS tem dito ao país nos últimos dias", declarou.

Luís Montenegro voltou também a acusar o PS de "arrogância" pela sua intenção de travar a privatização da TAP.

Em seguida, Passos Coelho subscreveu estas críticas e reiterou a convicção de que as propostas do PS são incompatíveis com as regras orçamentais da União Europeia.

"Se é possível, cumprindo as regras, acabar com os cortes, com as medidas extraordinárias, pôr a economia a crescer mais depressa, ter o Estado a encaixar mais receita, ter mais emprego gerado com essas medidas, porque é tão estupido o Governo que lá está, que quer perder as eleições e não faz isso tudo?", questionou.

Referindo-se ao plano macroeconómico do PS que contou com a colaboração de um grupo de economistas, Passos Coelho ironizou: "Não sendo uma Bíblia, foi apresentado por doze apóstolos e parece que faz milagres". 

"Mas não há milagres na economia, nem nas finanças públicas. Os portugueses hoje sabem isso muitíssimo bem", acrescentou.

O primeiro-ministro condenou uma política económica baseada em investimento do Estado - "um Governo que decida investir o que não tem passa a fatura aos portugueses, como passou no passado" - e de estímulo da procura.

Quanto ao aumento do consumo registado, sustentou que "se os portugueses estão a consumir mais é porque podem, porque há mais emprego e mais rendimento que está a ser distribuído" e rejeitou que isso esteja associado a decisões do Tribunal Constitucional: "Tudo o que o Tribunal Constitucional entendeu do lado da despesa que não devia ser consentido nós fomos buscar pelos impostos exatamente a mesma coisa".
Lusa
  • Passos está à espera que António Costa prometa "o céu e a terra"
    1:31

    País

    Pedro Passos Coelho desafiou este sábado o PS a dizer como quer resolver o problema da sustentabildiade da Segurança Social. O primeiro-ministro, que acusa o PS de recusar todo e qualquer tipo de acordos, pede aos socialistas que aprenda com o passado e que seja firme no que defende, quando apresentar o cenário macroeconómico para os próximos anos.

  •  António Costa aconselha "humildade democrática" ao primeiro-ministro
    0:49

    País

    António Costa acusa o Governo de teimosia e de radicalismo ideológico ao insistir na privatização da TAP. Depois de Passos Coelho ter acusado o líder do PS de "imaturidade democrática", António Costa aconselha "humildade democrática" ao primeiro-ministro e lamenta que tenha rejeitado todas as oportunidades que o PS lhe deu para um acordo político.

  • Costa diz que portugueses não esquecem promessas que Passos não cumpriu
    0:40

    Economia

    António Costa garante que não vai prometer aos portugueses aquilo que não pode cumprir, ao contrário do que fez Passos Coelho. O secretário-geral do PS lembra que o primeiro-ministro prometeu, em campanha, que não cortava salários e pensões e que acabou por fazê-lo. Costa diz que os portugueses não esquecem e que não vão eleger de novo alguém em que não podem confiar.

  • Habitantes de Almeida barricaram-se durante seis horas em agência da CGD
    2:31

    País

    Perto de 100 pessoas estiveram esta quarta-feira barricadas na agência da Caixa Geral de Depósitos em Almeida, distrito da Guarda. O protesto contra o encerramento da agência só terminou quase seis horas depois, com a garantia que os autarcas serão recebidos na próxima terça-feira pela Administração do banco público. 

  • Carro que atropelou adepto encontrado na casa de um amigo do suspeito
    2:18

    Desporto

    O carro que terá atropelado o adepto italiano que morreu junto ao Estádio da Luz foi encontrado esta terça-feira, numa garagem na Amadora, na casa de um amigo do suspeito. Trata-se de um homem na casa dos 30 anos que pertence à claque No Name boys e é agora procurado pela Polícia Judiciária.

  • Depois de dar a volta (de bicicleta de Lisboa a Setúbal)

    País

    Missão cumprida. A SIC foi dar uma volta de bicicleta, acompanhando a primeira etapa de uma iniciativa que pretende impulsionar o uso dos velocípedes no país. Ao longo desta quarta-feira, publicámos vários vídeos em direto na página de Facebook da SIC Notícias, que aqui reunimos, em jeito de balanço.

    Ricardo Rosa

  • Web Summit inaugura primeiro escritório fora da Irlanda em Lisboa
    1:58

    Web Summit

    A Web Summit inaugurou em Lisboa o primeiro escritório fora da Irlanda, que vai dar emprego a 20 pessoas, algumas portuguesas. O próximo objectivo é alargar eventos a outros pontos do país. A conferência internacional regressa a Lisboa entre 6 e 9 de novembro e a organização espera ter 60 mil participantes.

  • Trump volta a apelar ao fim do programa nuclear de Pyongyang
    1:43

    Mundo

    Donald Trump voltou a apelar à Coreia do Norte para que abandone o programa nuclear e opte pela via do diálogo. O Presidente dos Estados Unidos chamou à Casa Branca, para uma reunião extraordinária, todos os senadores norte-americanos para serem informados sobre a atual crise com a Coreia do Norte.

  • Ivanka Trump vaiada por defender o pai durante debate sobre igualdade de género
    1:51

    Mundo

    Com o propósito de criar pontes com Donald Trump, a chanceler alemã Angela Merkel convidou a filha mais velha do Presidente norte-americano para participar numa cimeira. No entanto as coisas não correram muito bem e Ivanka Trump foi vaiada pela audiência por ter defendido o pai quando o assunto era a igualdade de género. 

  • Papa apelou à revolução da ternura
    0:52
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • Diário de John F. Kennedy vendido por 660 mil euros

    Mundo

    Um diário escrito por John F. Kennedy quando jovem, durante uma curta passagem pelo jornalismo, depois da II Guerra Mundial, foi vendido por mais de 700 mil dólares (642 mil euros), informou esta quarta-feira uma casa de leilões.