sicnot

Perfil

País

ACP "completamente de acordo com carta por pontos"

O presidente do Automóvel Clube Portugal (ACP), Carlos Barbosa, disse hoje à agência Lusa estar "completamente de acordo" com a aprovação do sistema da carta por pontos, considerando mesmo que "já deveria ter sido implementada há mais tempo".

Carlos Barbosa, presidente do ACP

Carlos Barbosa, presidente do ACP

(SIC/ Arquivo)

O Governo aprovou na quinta-feira a carta por pontos, regime que vai entrar em vigor a 01 de junho do próximo ano, sem efeitos retroativos e inexistência de amnistia para as contraordenações cometidas ao abrigo da atual lei.

"Estamos completamente de acordo com as cartas por pontos. Tem uma grande vantagem: as pessoas terem acesso ao seu cadastro facilmente através da Internet, coisa que antigamente era impossível", afirmou Carlos Barbosa.

Em conferência de imprensa no Ministério da Administração Interna na quinta-feira, o secretário de Estado da Administração Interna, João Almeida, explicou que vai existir um período de adaptação de um ano, estando previsto na proposta de lei, hoje aprovada em Conselho de Ministros, que o novo regime entre em vigor a 01 de junho de 2016.

Em declarações hoje à Lusa, o presidente do ACP disse estar "completamente de acordo e que "este sistema já deveria ter sido implementado há mais tempo".

"Se eu tiver uma multa muito grave cometida há dois anos e meio não me vou lembrar. A carta por pontos vai ajudar a que as pessoas possam ter na hora, no minuto, o seu cadastro atualizado. Também sabem como ganhar e perder pontos", afirmou.

Carlos Barbosa lembrou que este sistema é uma cópia europeia, estando já a ser praticado em Espanha e França.

"Estamos de acordo. Não vejo qualquer tipo de desvantagens na carta por pontos", concluiu.

O secretário de Estado João de Almeida explicou na quinta-feira que a cada condutor serão atribuídos 12 pontos, que vão diminuindo à medida em que este vá cometendo contraordenações graves ou muito graves, além dos crimes rodoviários, que passam a ter também relevância para o novo regime de cassação da carta.

De acordo com a nova lei, no caso das contraordenações graves, os condutores perdem dois pontos e nas muito graves quatro, enquanto nos crimes rodoviários vão ser subtraídos seis pontos.

Na apresentação do diploma, o secretário de Estado explicou que a condução sob influência do álcool ou substâncias psicotrópicas vai ter um regime próprio, sendo subtraídos aos condutores três pontos nas multas graves e cinco pontos nas muito graves.

A justificação para esta penalização prende-se com o facto de cerca de um terço das vítimas mortais em acidentes de viação terem uma taxa de álcool no sangue acima do limite legal.

Segundo João Almeida, a carta por pontos vai ser aplicável às infrações rodoviárias cometidas após a entrada em vigor da lei.

A partir de 01 de junho de 2016, todos os automobilistas portugueses vão estar abrangidos pelo novo regime e começam do zero, sendo-lhes atribuídos 12 pontos.



Lusa
  • Governo aprova carta de condução por pontos
    1:00

    País

    O Governo aprovou hoje em Conselho de Ministros o novo regime da carta de condução. As contraordenações graves e muito graves vão descontar pontos nas cartas de cada condutor, mas é possível recuperá-los caso se esteja três anos sem cometer qualquer infração grave. O novo regime deverá entrar em vigor em junho do próximo ano como explicou esta tarde o secretário de Estado da Administração Interna.

  • Governo quer mesmo avançar com a carta de condução por pontos
    0:45

    País

    O Governo quer mesmo avançar com o sistema da carta de condução por pontos. Ou seja, a cada infração são atribuídos pontos, que, uma vez acumulados, podem resultar na inibição de conduzir ou na cassação do título. Em entrevista à Antena1 e ao Diário Económico, o secretário de Estado da Administração Interna explicou as vantagens do sistema.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

    Em atualização

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.