sicnot

Perfil

País

Fogo continua em Ponte de Lima, mas passagem do rali ainda pode ser viável

O incêndio em floresta que deflagrou na quinta-feira à tarde na freguesia de Cabração, no concelho de Ponte Lima, manteve-se ativo com duas frentes esta madrugada, mas os bombeiros acreditam ser possível a passagem do Rali de Portugal. 

SIC

"Conseguimos desviar o fogo do troço do Rali [de Portugal]. Se tudo correr bem, a minha perspetiva é que o Rali vai decorrer", disse em declarações à agência Lusa Carlos Lima, comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima. 

Pelas 05:30, o incêndio estava ativo com duas frentes e o combate às chamas estava a ser dificultado pelos acessos no terreno. 

"Neste momento há uma frente em zonas que só meios apeados é que conseguem lá chegar", afirmou Carlos Lima.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Lima disse ainda ser difícil prever quando será possível extinguir o incêndio.

"Não temos essa previsão porque os meios têm alguma dificuldade em evoluir no terreno e tudo depende, agora com o nascer do sol, como vai ser o comportamento do fogo", acrescentou. 

Por volta das 05:30 de hoje o incêndio em floresta que deflagrou na quinta-feira à tarde na freguesia de Cabração estava a ser combatido por cerca de 160 homens apoiados por 50 viaturas, segundo Carlos Lima.

Os responsáveis do Rali de Portugal vão aguardar pela manhã de hoje para avaliar a viabilidade de passagem do troço de Ponte de Lima.

O Automóvel Clube de Portugal, promotor do evento, não assumiu ainda uma posição oficial, mas prevê tomar uma decisão às 07:00 de hoje, ou seja, duas horas e 40 minutos antes do arranque da classificativa de Ponte de Lima, a primeira do dia e segunda do rali.

 


Lusa
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras