sicnot

Perfil

País

Notários destituíram bastonário, que não aceita votação

Dois terços dos notários participaram sábado numa assembleia geral extraordinária da Ordem, que votou a destituição da direção e do bastonário, mas este considera que continua em funções porque o quórum foi insuficiente.

Convocada para destituir a direção e o bastonário da Ordem dos Notários (ON), a assembleia geral extraordinária, que decorreu no sábado, contou com a presença de 230 dos 350 notários, dos quais 121 votaram a favor da destituição, 98 opuseram-se e 11 abstiveram-se.

O resultado da votação está a ter leituras diferentes entre o bastonário da Ordem dos Notários, José Maia Rodrigues, e membros de uma comissão que convocou a assembleia geral.

"O bastonário e a direção continuam em pleno exercício das suas funções. Não houve destituição", disse à agência Lusa José Maia Rodrigues, justificando com o facto de não estarem representados na votação três quartos do total dos notários.

O bastonário da ON afirmou que, "juridicamente, não há quórum suficiente para destituir o bastonário e a direção. Só seria assim se se tivessem obtido três quartos dos votos de todos os notários".

Segundo José Maia Rodrigues, a exigência de números mínimos "não está expressamente na lei, mas decorre da lei que é preciso um quórum qualificado para haver uma destituição dos órgãos".

"Sempre disse que quando entendesse que a maioria dos notários já não se revia no bastonário e na sua direção, apresentaria a demissão e o que constatei, no sábado, é que de facto há uma minoria organizada e ruidosa de cerca de um terço dos notários que não se revê neste bastonário, nem no rumo da direção", sustentou.

José Maia Rodrigues considerou que "a maioria dos notários continua a confiar no bastonário e na direção", que "não podem quebrar o compromisso assumido com essa maioria e ir ao encontro do pretendido por uma minoria organizada".

Posição diferente tem o grupo de notários que convocou a assembleia geral, considerando que "a maioria dos presentes e representados votou a favor da destituição".

Jorge Silva, porta-voz desse grupo, disse à Lusa que "nunca foi mencionada a exigência de outra provisão legal para além da maioria que saísse" da assembleia geral, adiantando que estiveram presentes e representados cerca de dois terços do total dos notários.

Para Jorge Silva, este "não é um número menor", sendo até "muito significativo".

"Não existindo na lei qualquer exigência legal para um número mínimo de notários que tenham que votar a destituição da direção",  e logo, "tendo sido claramente derrotada a posição da direção, no sentido em que uma maioria votou a sua destituição, não vejo como é o que o bastonário e a direção se consideram não destituída", sustentou.

Jorge Silva afirmou desconhecer na lei "qualquer provisão legal que exija três quartos de notários", tendo em conta que o estatuto da ON não prevê números mínimos e, nos termos do código civil, não há nenhuma provisão.

Na origem do descontentamento está a revisão do estatuto da Ordem dos Notários, cujo diploma está a ser discutido na Assembleia da República, sendo motivo de discórdia a contribuição destinada a financiar o apoio judiciário nos processos de inventário.

O diploma do Governo prevê que os notários descontem dez por cento dos honorários com os processos de inventário, para criação de um fundo que pague as despesas com este tipo de serviço garantido pelo Estado a pessoas sem recursos económicos.

O bastonário da ON, que na terça-feira vai ser ouvido na comissão parlamentar dos Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias, no âmbito da discussão na especialidade do diploma, afirmou que essa contribuição foi uma imposição do Ministério da Justiça.  

Lusa
  • Paulo Fonseca e Paulo Sousa fora da Liga Europa

    Liga Europa

    A segunda mão dos 16 avos-de-final da Liga Europa ficou marcada pelas eliminações de duas equipas treinadas por portugueses: a Fiorentina de Paulo Sousa e o Shakhtar Donetsk de Paulo Fonseca. Paulo Bento, no Olympiacos, e José Mourinho, no Manchester United, são os únicos técnicos lusos ainda em competição. Noutros jogos, destaque para os afastamentos do Tottenham e do Zenit. Veja aqui os resumos de todos os encontros desta noite europeia. O sorteio dos oitavos-de-final está agendado para esta sexta-feira, às 12h00, hora de Lisboa.

  • "Não preciso de ajustar contas com ninguém"
    0:49

    País

    O ex-Presidente da República insiste que José Sócrates foi desleal durante as negociações do Orçamento do Estado para 2011. Numa entrevista dada à RTP1, Cavaco Silva esclareceu ainda que não escreveu o livro de memórias para ajustar contas com o ex-primeiro-ministro.

  • Sócrates em processo judicial surpreende Cavaco
    0:18

    País

    Cavaco Silva afirmou ter ficado surpreendido com o envolvimento de José Sócrates num processo judicial. Em entrevista à RTP1 o ex-Presidente da República diz que nunca se apercebeu de qualquer "atuação legalmente menos correta" da parte de Sócrates.

  • PSD questiona funcionamento da Assembleia da República
    2:39

    Caso CGD

    O PSD e o CDS vão entregar esta sexta-feira no Parlamento o pedido para criar uma nova Comissão de Inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos. Os dois partidos reuniram-se esta quarta-feira para fechar o texto do requerimento. Durante o dia, o PSD considerou que o normal funcionamento da Assembleia da República está em causa, o que levou Ferro Rodrigues a defender-se e a garantir que está a ser imparcial.

  • Marcelo rejeita discussões menores na banca
    0:32

    Economia

    O Presidente da República avisa que não se devem introduzir querelas táticas e menores no sistema financeiro. Num encontro que reuniu publicamente Marcelo e Centeno, o Presidente diz que é preciso defender o interesse nacional.

  • Três dos planetas encontrados podem conter água e vida
    3:28
  • Túnel descoberto em cadeia brasileira tinha ligação a uma habitação
    0:44

    Mundo

    A polícia brasileira descobriu um túnel que ligava a cadeia de Porto Alegre a uma casa e serviria para libertar prisioneiros do estabelecimento. As autoridades detiveram sete homens e uma mulher no local. A construção permitiria uma fuga massiva que poderia chegar aos 200 mil fugitivos e estima-se que terá custado mais de 300 mil euros. A polícia do Rio Grande do Sul acredita, assim, ter impedido aquela que seria a maior fuga de prisioneiros de sempre no Estado brasileiro.

  • Secretário da Segurança Interna dos EUA desmente Donald Trump

    Mundo

    O Presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou esta quinta-feira que os esforços do seu Governo para expulsar alguns imigrantes ilegais dos Estados Unidos "são uma operação militar", afirmação contrariada pelo seu secretário da Segurança Nacional no México.