sicnot

Perfil

País

Jovem que terá caído de táxi na 2ª Circular morreu no hospital

Um homem de 22 anos foi encontrado caído esta madrugada na Segunda Circular, em Lisboa, depois de ter sofrido, alegadamente, uma queda do táxi em que circulava. Acabou por morrer no Hospital de Santa Maria, para onde foi transportado.

Arquivo

Arquivo

SIC

Segundo a fonte da PSP, o jovem foi assistido no local, junto às bombas da Repsol situadas no sentido Benfica-Aeroporto, pela Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de Santa Maria, tendo sido depois transportado em "estado muito grave" para aquela unidade hospital, onde acabou por morrer.

O jovem foi encontrado caído na Segunda Circular, na zona das Torres de Lisboa, cerca das 00:25 de hoje, alegadamente depois de ter caído do banco de trás do táxi que o transportava.

Ao que tudo indica, o homem viajava com outra pessoa, alegadamente a sua namorada, que veio a sair do táxi um quilómetro mais à frente do local onde ocorreu o incidente e ter-se-á deslocado a pé até junto da vítima.

Segundo a mesma fonte, o motorista do táxi ainda não foi identificado, embora várias testemunhas tenham fornecido às autoridades a descrição do automóvel e a matrícula.

Com Lusa

  • "Miúdos de 5 e 6 anos a perguntar: a minha casa ardeu, o meu pai está queimado?"
    4:55
  • Presidente visita zonas afetadas pelos fogos
    2:00

    País

    Numa visita inesperada, o Presidente da República esteve esta manhã em Vouzela, um dos concelhos mais atingidos pelos incêndios. Marcelo Rebelo de Sousa vai estar nos próximos dias no distrito de Viseu.

  • "Viverei com o peso na consciência até ao último dia"
    3:00
  • A fotografia que está a correr (e a impressionar) o Mundo

    Mundo

    A fotografia de uma cadela a carregar, na boca, o cadáver calcinado da cria está a comover o mundo. Entre as muitas fotografias que mostram o cenário causado pelos incêndios que devastaram a Galiza nos últimos dias, esta está a causar especial impacto. O registo é do fotógrafo Salvador Sas, da agência EFE. A imagem pode impressionar os mais sensíveis.