sicnot

Perfil

País

Anacom recebeu quase 80 mil reclamações em 2014

A Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom) anunciou hoje que, no ano passado, recebeu 78.239 reclamações, mais 8,9% do que em 2013, e que a NOS foi o operador de telecomunicações com mais queixas.

(Lusa/Arquivo)

(Lusa/Arquivo)

Em comunicado, o regulador das telecomunicações adianta que a maioria das reclamações no ano passado (66.017) dizia respeito aos serviços de comunicações eletrónicas, o que representa 84,4% do total, um aumento de 13,4% face a 2013.

"Tendo em conta o total de clientes de serviços de comunicações eletrónicas de cada prestador, o grupo NOS [resultante da fusão da Optimus com a Zon] foi o prestador mais reclamado no período em análise, com 2,67 reclamações por mil clientes", enquanto a Vodafone "foi o prestador menos reclamado, com 1,16 reclamações por mil clientes", adianta.

"As questões relacionadas com o contrato celebrado para a prestação de serviços de comunicações eletrónicas são o assunto mais reclamado pelos utilizadores destes serviços, representando mais de metade das reclamações analisadas (54,2%), com destaque para os problemas relacionados com a venda (33,5%) e o cancelamento do serviço (28%)", refere o regulador.

As questões que envolvem equipamentos (14,1% do total das reclamações), a faturação do serviço (10,2%) - "esta última foi a que registou maior crescimento homólogo", de 59,6% - foram outras das reclamações feitas, seguidas das avarias, atendimento ao cliente e portabilidade.

"Praticamente todas as questões referidas acima são matérias de âmbito contratual que se situam fora do âmbito de atuação da Anacom", salienta o regulador.

No que respeita a reclamações relativas a anúncios de campanhas publicitárias, estas são "absolutamente residuais no total das reclamações recebidas pela Anacom, sendo inexpressivo o seu peso", apontou.

O serviço móvel e os serviços em pacote foram os que registaram "um aumento da taxa de reclamação face a 2013, passando, em termos de número médio de reclamações por mil clientes, de 1,24 para 1,57 e de 5,28 para 6,12, respetivamente", segundo a mesma fonte.

Os serviços postais registaram 8.008 reclamações, uma diminuição de 3,7% face a 2013, mas "ainda assim são responsáveis por 10,2% do total de reclamações rececionadas pela Anacom" no ano passado.

"A distribuição postal foi o serviço mais reclamado, responsável por 43,5% das reclamações recebidas" e os temas mais reclamados diziam respeito ao atendimento nos postos e nas estações de correios (27,3%), questões relacionadas com falta de tentativa de entrega de correspondência e encomendas em casa (14%) e de atraso na entrega de objetos postais (13%).

"As reclamações relativas à televisão digital terrestre registaram a maior redução em termos homólogos, 34,1%, e representam 1,2% do total", adianta.

No ano passado, a Anacom desencadeou 353 ações de fiscalização sobre os serviços de comunicações eletrónicas e 270 sobre a prestação de serviços postais.

No total, foram instaurados 346 processos de contraordenação e decididos 360, parte dos quais vinha do ano anterior.

Na semana passada, o secretário de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, disse estar em conversações com a Anacom para encontrar uma forma de diminuir o número de reclamações nas telecomunicações, no âmbito do novo Código da Publicidade.

O novo diploma do Código da Publicidade, que está em consulta pública até sexta-feira, atribui à Anacom o controlo prévio sobre as mensagens dos operadores de comunicações eletrónicas.








Lusa
  • Deputados pedem medidas urgentes para travar exploração de urânio junto à fronteira
    3:06

    País

    Um projeto de exploração de urânio no município de Retortilho em Salamanca, a cerca de 40 quilómetros da fronteira portuguesa, está a causar preocupação nos dois países. Portugueses e espanhóis temem o risco de contaminação por via aérea e fluvial. Deputados portugueses visitaram o local, onde pediram medidas firmas e urgentes ao Governo para travar o projeto. As autoridades de Espanha não acionaram o mecanismo de avaliação ambiental partilhada.

  • Mulher enterrada viva no Brasil
    1:13

    Mundo

    Uma mulher de 37 anos terá sido enterrada viva no oeste da Bahia, no Brasil. A certidão de óbito aponta um choque séptico como a causa da morte, mas os ferimentos com que foi encontrada no interior do caixão indicam um possível erro. Os moradores de casas vizinhas do cemitério municipal onde Rosângela dos Santos foi enterrada ouviram gritos vindos do túmulo.

  • "Os Estados Unidos são uma sociedade de pistoleiros"
    3:47
  • Trump desafia Oprah a candidatar-se para ser derrotada

    Mundo

    Apesar de Oprah Winfrey ter excluído uma eventual candidatura às eleições presidenciais dos Estados Unidos da América, Donald Trump ainda não se esqueceu dos rumores e desafiou a apresentadora a candidatar-se em 2020. Através do Twitter, o Presidente norte-americano disse ainda que assim poderia ser "exposta e derrotada como todos os outros".

    SIC