sicnot

Perfil

País

Dezenas de elementos da GNR aprovam moção que prevê protestos

Dezenas de elementos da GNR, reunidos esta quarta-feira em Lisboa, aprovaram uma moção que contempla protestos em defesa de um estatuto de aposentação, que podem começar já na próxima semana.

Em causa está, dizem os profissionais, o não cumprimento da lei quanto a questões como a idade da reforma ou horários de trabalho. (Arquivo)

Em causa está, dizem os profissionais, o não cumprimento da lei quanto a questões como a idade da reforma ou horários de trabalho. (Arquivo)

Lusa

No encontro "Pela Defesa de Um Estatuto de Aposentação Digno -- Por Uma Segurança Pública de Qualidade",  convocado pela Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), em Lisboa, não foram especificadas as formas de protesto.

César Nogueira, presidente da APG/GNR, disse no entanto aos jornalistas que esses protestos podem passar por vigílias e que serão anunciados nos próximos dias.

Em causa está, dizem os profissionais, o não cumprimento da lei quanto a questões como a idade da reforma ou horários de trabalho.
Lusa
  • Elementos de várias polícias ponderam continuar luta e admitem nova manifestação
    0:49

    País

    Depois dos protestos de 21 de novembro, em frente à Assembleia da República, as forças policiais ponderam continuar a luta contra as políticas do Governo e, em cima da mesa, está a convocação de uma nova manifestação nacional. É essa a principal conclusão de uma reunião que juntou, hoje no Porto, organizações sindicais da PSP, GNR, SEF, ASAE e Polícia Marítima. Este foi o primeiro de uma série de encontros, com caráter regional, que vão agora decorrer no centro e no sul do país. As forças de segurança queixam-se de não terem ainda qualquer resposta do Governo às reivindicações que apresentam.

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01