sicnot

Perfil

País

Estudo analisa relação entre atividade cerebral e resposta sexual masculina

Investigadores das universidades do Porto e de Coimbra estão a desenvolver um estudo pioneiro sobre a atividade cerebral e a resposta sexual de homens com e sem disfunção erétil, anunciou hoje a Universidade de Coimbra (UC).

Arquivo

Arquivo

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

O Centro de Investigação em Sexualidade Humana (SexLab) da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto (UP) e o Instituto Biomédico de Investigação de Luz e Imagem (IBILI) da UC estão a desenvolver um "estudo sobre a resposta sexual masculina e os seus correlatos neuronais", afirma a UC numa nota hoje divulgada.

A investigação visa "analisar a atividade cerebral e a resposta sexual de homens com e sem disfunção erétil, face à visualização de filmes de conteúdo sexual, durante a realização de uma ressonância magnética", adianta a UC.

Trata-se do "primeiro projeto experimental a avaliar a interação entre a atividade cerebral, a resposta sexual e fatores psicológicos (cognições e emoções) durante a exposição a estímulos sexuais em homens com e sem disfunção erétil".

Financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), a investigação poderá ter repercussões na "consolidação de conhecimentos relacionados com a etiologia e manutenção da disfunção erétil e suas implicações para tratamento", sustentam os especialistas envolvidos no projeto, coordenado por Pedro Nobre e Miguel Castelo Branco, diretores do SexLab da UP e do IBILI da UC, respetivamente.

O objetivo geral é contribuir para "uma melhor compreensão desta problemática, avaliando os correlatos neuronais da resposta sexual em homens com e sem disfunção erétil", sintetizam os coordenadores do estudo.

Simultaneamente, "pretendem-se correlacionar estas medidas com alguns fatores psicológicos, como a personalidade, crenças sexuais e mecanismos de excitação e inibição sexual que constituem fatores de risco para o desenvolvimento de disfunções sexuais", acrescentam Pedro Nobre e Miguel Castelo Branco.

A pesquisa necessita da contribuição voluntária de 40 homens, 20 dos quais com disfunção erétil com causas psicológicas e outros tantos sem dificuldades sexuais, que terão, designadamente, de efetuar uma entrevista, preencher questionários e realizar uma ressonância magnética, altura em será avaliada a sua resposta sexual.

"Os voluntários devem ser homens heterossexuais, com idades compreendidas entre os 18 e 50 anos, sem problemas médicos ou consumo de medicação que afetem a resposta sexual", como, por exemplo, diabetes ou anti-hipertensores e antidepressivos, adianta a UC, assegurando que "o estudo decorre com todas as garantias de privacidade e anonimato".

Os interessados em participar no estudo, que "obedece a todas as normas éticas e de regulamentação, nomeadamente ao princípio da confidencialidade", devem contactar, através do endereço eletrónico sexlab.ibili@gmail, os responsáveis pelo projeto.



Lusa
  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.