sicnot

Perfil

País

Quase todas as crianças consomem sal acima do recomendado

Quase todas as crianças portuguesas (93%) ingerem sal acima das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e 25% consome quantidades "astronómicas" que chegam a triplicar os valores aconselhados, revela um estudo da Universidade do Porto. 

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Ina Fassbender / Reuters

Uma das conclusões do estudo sobre hábitos alimentares das crianças portuguesas, a que a Lusa teve hoje acesso, indica que 93% das crianças ingere sal a mais do que é recomendado pela OMS e que 54% ingere sal acima do máximo tolerável, tendo apenas 8% das crianças ingerido as quantidades de potássio (legumes e fruta) necessárias. 

 
 

O "campeão do consumo excessivo" de sal foi um menino que consumiu 15 gramas de sal e uma menina que chegou a 17 gramas de sal, contou, em entrevista telefónica à Lusa, Pedro Moreira, coordenador do estudo da Universidade do Porto, que contou com a colaboração da Direção Geral da Saúde e foi solicitado pela OMS. 

 
 

"São valores absolutamente astronómicos (...). Para além destes 93% estarem a ingerir sal acima dos valores recomendados pela OMS, há 25% de crianças que consomem quantidades astronómicas de sal", ou seja 12,5 gramas os rapazes e 11,7 ou mais as raparigas, concretizou o especialista. 

 
 

A ingestão de sal recomendada pela OMS é "até cinco gramas por dia", mas há crianças em Portugal a consumir 17 gramas de sal por dia, ou seja a mais que triplicar os valores aconselhados. 

 
 

O estudo realizado a 163 crianças (81 meninos), com idades entre oito e dez anos e a frequentar escolas públicas do ensino básico do Porto foi feito com base na recolha de urina durante 24 horas e respetivo doseamento de sal (sódio), tendo sido também avaliado o consumo de potássio, que se encontra nos legumes e fruta e contraria os efeitos indesejáveis do excesso de sal. 

 
 

Em termos globais, os resultados estavam "maus nas duas vertentes: sódio a mais que é a parte má do sal, e os valores de ingestão de potássio eram muito baixos" ou seja as crianças estão a comer poucos legumes e frutas para combater os malefícios do sal, disse o investigador. 

 
 

Pedro Moreira, que é professor e diretor da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, alerta que o perigo de as crianças consumirem sal em excesso, pois podem transformar-se em crianças com maior "vulnerabilidade a mais pressão arterial, que depois evoluem para um maior risco de hipertensão arterial e respetivas doenças associadas". 

 
 

Relatórios recentes indicam que um consumo excessivo de sal dentro da região europeia, sendo estimado que reduzir a ingestão de sal, pela metade, levaria a uma queda dramática na doença cardíaca coronária. 

 
 

A OMS estabeleceu com a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto, um contrato para realizar uma análise transversal que avaliasse o consumo de sal em grupos vulneráveis, como as crianças. 

 
 

O investigador refere que este estudo é o primeiro trabalho publicado em crianças portuguesas destas idades avaliando simultaneamente a ingestão de sódio e potássio através da excreção urinária. 

 
 

 
 

 Lusa

  • Sal e alimentos pouco energéticos dominam ementas escolares
    2:34

    País

    Há excesso de sal e alimentos pouco energéticos nas refeições escolares. É a conclusão a que chegou uma análise às refeições de 36 escolas do 1º ciclo da Grande Lisboa. Ficou também claro que grande parte das crianças envolvidas neste estudo ingeria, por um lado, demasiadas proteínas e, por outro, teores de gordura e hidratos de carbono abaixo dos valores de referência. A Direcção Geral de Saúde pede mais fiscalização.

  • Grande Reportagem Interativa "Somos o que comemos"

    Grande Reportagem Interativa

    (Originalmente publicado a 02.04.2015) Com a Grande Reportagem SIC estreamos um formato interativo onde pode encontrar mais conteúdos . Guiados pela pediatra Júlia Galhardo mostramos-lhe, por exemplo, como preparar pequenos almoços equilibrados ou como convencer crianças e adolescentes a comer peixe e legumes. Com o contributo de alguns dos maiores especialistas de cada área, pode aprofundar questões como o papel da alimentação na prevenção do cancro desde a infância ou as dependências alimentares. Textos, vídeos, entrevistas e gráficos que poderá explorar, ao seu ritmo. O próximo conteúdo interativo vai acontecer aos 4 minutos e 29 segundos.

  • As diferentes faces de Maria
    4:45

    Mundo

    Qual é a imagem de Nossa Senhora que vem à sua mente quando o nome da Virgem católica é mencionado? Uma exposição numa cidade do interior do Brasil mostra que a Mãe de Jesus pode ter várias faces.

    Correspondente SIC