sicnot

Perfil

País

Cavaco Silva defende maiores responsabilidades das câmaras na educação

O Presidente da República, Cavaco Silva, defendeu hoje que as câmaras municipais devem receber mais responsabilidades na área da educação e apontou o exemplo da Inglaterra, onde viveu.

Nuno Andre Ferreira

"Temos que ter a coragem de avançar mais significativamente na descentralização em matéria das decisões escolares, assumindo as câmaras municipais acrescidas responsabilidades nessa área", afirmou Aníbal Cavaco Silva, durante a cerimónia de inauguração da Escola Básica de Moimenta da Beira, no distrito de Viseu.

O chefe de Estado lembrou que sempre foi "um defensor da descentralização do país em matéria de educação". 

"Há muitos anos, quando era estudante, passei cerca de três anos em Inglaterra, os meus filhos andaram em escolas na Inglaterra, e aí, em York, onde eu estava, nenhuma escola estava à espera da colocação dos professores que chegasse do Ministério da Educação em Londres", contou.

 Dirigindo-se aos pais presentes na cerimónia, pediu-lhes que se empenhem na colaboração com os professores e no acompanhamento dos filhos, "para que, pelo menos, eles completem o ensino secundário".

"Nos tempos que correm, no mundo global em que vivemos de forte concorrência, para conseguir subir a escala da vida com sucesso, é necessário, pelo menos, que os nossos jovens completem o ensino secundário", frisou. 

Apelou ainda a que "os que podem, os que queiram e os que tenham capacidade, não deixem de fazer um esforço para continuar depois os estudos no ensino superior".

Durante a visita ao concelho de Moimenta da Beira, Cavaco Silva esteve também na Adega Cooperativa do Távora, conhecida pelos seus vinhos, espumantes e maçãs, e disse ter ficado impressionado com "a capacidade de gestão" e por "dar um contributo para o desenvolvimento da agricultura nesta parte do país".

Segundo o Presidente da República, "a agricultura tem registado nos últimos tempos um progresso assinalável", que não pode parar.

"Temos que continuar este caminho de reestruturação da nossa agricultura, incluindo o setor vitivinícola. Precisamos de consolidar esta trajetória que construímos nos últimos tempos, para que a agricultura não seja mais vista como um setor esquecido", acrescentou.

Cavaco Silva congratulou-se com o "rejuvenescimento dos agricultores" que tem constatado pelo país.

"Encontro cada vez mais por esse país fora jovens agricultores, com técnicas avançadas, com conhecimentos, sabendo bem que também na agricultura nós operamos num mundo global de forte concorrência", referiu.

O início do discurso de Cavaco Silva ficou marcado por um momento de boa disposição, quando se referia ao "dinamismo económico e social" do concelho.

"Não tenho dúvidas de que a Câmara Municipal, liderada por vossa excelência, senhor Presidente da República, tem dado um contributo significativo para este progresso que eu constato no seu município", disse Cavaco Silva, emendando de imediato para "senhor presidente da Câmara".

"Lá chegarei, lá chegarei", gracejou o presidente da Câmara de Moimenta da Beira, José Eduardo Ferreira.

Lusa
  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira