sicnot

Perfil

País

Seis concelhos de Portugal continental em risco máximo de incêndio

Os concelhos de Pampilhosa da Serra, Oleiros, Sertã, Vila de Rei, Sardoal e Mação apresentam hoje risco máximo de incêndio, de acordo com informação disponível na página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

© Michael Fiala / Reuters

Os concelhos de Pampilhosa da Serra, distrito de Coimbra, Vila de Rei, Oleiros e Sertã (Castelo Branco), Mação e Sardoal (Santarém) apresentam hoje risco máximo de incêndio.

O IPMA colocou também em risco muito elevado de incêndio 55 concelhos de distritos de Portugal continental, 31 dos quais do centro, nomeadamente de Santarém, Coimbra, Castelo Branco e Leiria.

O restante mapa de Portugal continental  encontra-se "pintado" a laranja, cor que revela que os concelhos estão com risco elevado de incêndio, enquanto só Mértola e Castro Verde (Beja) e Terras de Bouro, Montalegre e Boticas (Vila Real) apresentam risco reduzido .

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:00 de cada dia, relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou na quarta-feira 77 incêndios, que foram combatidos por 870 operacionais, com o apoio de 255 veículos.

O IPMA prevê para hoje no continente céu pouco nublado ou limpo, apresentando períodos de maior nebulosidade durante a tarde no interior, em especial da região centro, com possibilidade de ocorrência de aguaceiros e trovoada.

O vento tende a soprar fraco a moderado do quadrante norte, soprando moderado a forte de noroeste no litoral, com rajadas da ordem dos 60 km/h, e nas terras altas a partir do início da tarde.

O IPMA prevê ainda uma descida da temperatura máxima, mais acentuada no litoral e uma pequena descida da temperatura mínima no litoral.

Em Lisboa, as temperaturas vão variar entre 18 e 26 graus Celsius, no Porto entre 15 e 24, em Bragança entre 13 e 30, em Viseu entre 14 e 28, na Guarda entre 15 e 27, em Coimbra entre 14 e 26, em Leiria entre 11 e 22, em Portalegre entre 23 e 32. 

Beja será a cidade mais quente, com previsões de 34 graus celsius, seguida de Évora e Portalegre com 33 enquanto no sul do país as máximas vão chegar aos 25 em Faro.

  • Governo prepara projeto para suavizar transição para a reforma
    1:38

    Economia

    O Governo quer suavizar a transição do trabalho para a reforma. A ideia é que essa passagem seja feita gradualmente e não de um dia para o outro, o que pode ser mais traumático. O projeto prevê a possilidade de o trabalhador cumprir meio horário e acumular com meia pensão.

  • Portugal pode perder parte dos fundos comunitários
    2:21

    Economia

    Portugal arrisca-se a perder parte dos fundos comunitários atribuídos ao país, se não acelerar a execução dos programas que têm comparticipação de Bruxelas. A notícia é avançada pelo jornal Público, que revela que o país ainda está longe de cumprir as metas mínimas. O Executivo desdramatiza e acredita que serão cumpridas até ao final do ano. O Governo diz mesmo que Portugal deverá ser um dos países com melhores taxas de execução.

  • Proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causas do Alzheimer
    2:33

    País

    Uma proteína tóxica que se acumula no cérebro pode ser uma das causadoras do Alzheimer. A revelação, feita pelo prémio Nobel da Medicina de 2014, será discutida no terceiro dia da cimeira mundial sobre doenças neurodegenerativas na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A partir de hoje, serão apresentadas novidade nas investigações científicas sobre a epidemia silenciosa, que atinge 50 milhões de pessoas em todo o mundo.

  • Primeiro discurso de Costa na ONU alinhado com o de Guterres

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, proferirá hoje o seu primeiro discurso na Assembleia Geral das Nações Unidas, devendo estar muito alinhado com a agenda política apresentada na terça-feira pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, valorizando o multilateralismo.