sicnot

Perfil

País

Passos inicia hoje primeira visita oficial à Madeira

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, inicia hoje a sua primeira visita oficial à Região Autónoma da Madeira, que inclui uma deslocação à ilha do Porto Santo, na terça-feira. 

MANUEL TELES/ LUSA

O novo presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, que tomou posse em abril, substituindo Alberto João Jardim, convidou nesse mesmo mês Pedro Passos Coelho a visitar o arquipélago, e acompanhará o primeiro-ministro nesta visita oficial.

Acompanharão também Passos Coelho nesta visita de dois dias os ministros da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Luís Marques Guedes, e da Economia, António Pires de Lima, e o secretário de Estado das Finanças, Manuel Rodrigues.

O chefe do executivo PSD/CDS-PP viajará em voo militar, com partida de Lisboa às 07h00 e chegada ao Funchal prevista para as 09h30 de segunda-feira. O voo de regresso à capital está marcado para as 19h00 de terça-feira.

Segundo o programa desta visita, Passos Coelho vai encontrar-se com Miguel Albuquerque hoje de manhã, na residência oficial do presidente do Governo Regional da Madeira, seguindo-se uma conferência de imprensa conjunta.

Para a tarde, estão agendadas visitas ao Centro Internacional de Negócios da Madeira, a uma empresa de comercialização de peixe, uma reunião com o representante da República para esta região autónoma, e encontros com o presidente da Assembleia Legislativa Regional e representantes dos grupos parlamentares.

Na terça-feira, o programa inclui visitas uma empresa tecnológica, a um centro social e paroquial e a uma exploração agrícola onde poderá ver as típicas casas de colmo, antes da partida da ilha da Madeira para o Porto Santo, onde o primeiro-ministro assistirá à apresentação do projeto de um geoparque e à assinatura de um protocolo entre agricultores e um hotel.

Desde que assumiu as funções de primeiro-ministro, em junho de 2011, Passos Coelho deslocou-se uma vez ao arquipélago da Madeira nessa qualidade, em novembro do ano passado, mas exclusivamente para participar numa cerimónia empresarial.

Nessa altura, Alberto João Jardim ainda era o presidente do Governo Regional da Madeira e da Comissão Política Regional do PSD, e os dois não se reuniram.



Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.