sicnot

Perfil

País

Serviço Sexualidade em Linha respondeu a mais de cinco mil dúvidas

O Serviço Sexualidade em Linha respondeu no ano passado a 4.000 chamadas e a 1.300 emails, na maior parte de mulheres, a questões mais focadas nos métodos contracetivos.  

© Alessandro Bianchi / Reuters

Em 2014, entre os utilizadores da linha telefónica de ajuda, que se alargou às perguntas por email, cerca de 57% tinham entre os 18 e os 25 anos, seguidos dos maiores de 30 anos, com 16% das chamadas efetuadas, refere uma informação hoje divulgada. 

Quanto às dúvidas colocadas, 70% relacionavam-se com o tema "Métodos Contracetivos", entre as quais se destacaram questões sobre a toma da pílula, como o que fazer perante o esquecimento de tomar o comprimido e a interação medicamentosa. 

Atualmente, cerca de 86% do total de utilizadores do serviço são do sexo feminino. 

"O balanço de 17 anos de atividade da Sexualidade em Linha, por telefone e, mais recentemente, também por e-mail, demonstra as potencialidades deste serviço pela sua acessibilidade, confidencialidade, absoluto anonimato e especialização dos profissionais que fazem o atendimento e garantem a transmissão de informação", salienta a coordenadora da Sexualidade em Linha, Paula Pinto.

Criado há 17 anos pelo Instituto Português da Juventude, em parceria com a Associação para o Planeamento da Família, com o objetivo de apoiar os mais jovens, este serviço  - com o número 808 222 003 - alargou-se a profissionais, mães e pais.

Pretende contribuir para o aconselhamento e prevenção de situações relacionadas com a saúde sexual e reprodutiva, questões sobre relações de namoro, amizade, conjugalidade, contraceção, gravidez e gravidez não desejada, violência sexual, infeções sexualmente transmissíveis e orientação sexual. 

Lusa
  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.