sicnot

Perfil

País

Ministério Público pede 13 a 14 anos de prisão para professor acusado de abuso sexual de menores

O Ministério Público pediu hoje, no Tribunal de Penafiel, uma pena de prisão entre 13 e 14 anos para um professor acusado de 439 crimes de abuso sexual de nove crianças, disse à Lusa fonte judicial.

(Arquivo)

(Arquivo)

Nas alegações finais do julgamento que decorre à porta fechada, a defesa do arguido pediu que se fizesse justiça face à prova produzida em audiência de julgamento.

Os assistentes que representam algumas das crianças alegadamente vítimas de abuso sexual acompanharam o Ministério Público nas alegações e na medida da pena.

O acórdão, que resultará de um tribunal de júri constituído a pedido da defesa, está marcado para o dia 26 de junho, às 14:00.

Segundo a acusação do Ministério Público, o suspeito, de 36 anos, desenvolveu, pelo menos desde os 18 anos, uma "forte atração sexual" por crianças do sexo masculino, com idades entre os 7 e os 12 anos.

O arguido encontra-se em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional do Porto.








Lusa
  • "Joguem à bola"
    1:35

    Desporto

    Cerca de uma centena de adeptos do Sporting esperaram até perto das 3:00 pela chegada da equipa ao estádio de Alvalade. Depois da eliminação da Taça de Portugal, em Chaves, foi necessário o reforço policial para garantir a segurança da comitiva leonina.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Putin sai em defesa de Trump
    2:29

    Mundo

    Vladimir Putin já saiu em defesa de Donald Trump e diz que houve uma tentativa de minar o Presidente eleito dos Estados Unidos, através de um alegado relatório, atribuido à espionagem russa. Putin diz que o relatório é falso.