sicnot

Perfil

País

Uma em cada 30 crianças de Braga sofre de "olho preguiçoso"

Uma em cada 30 crianças revelou ter ambliopia moderada a grave, durante o primeiro ano de um projeto de despiste daquela patologia, mais conhecida por "olho preguiçoso", que decorre no Hospital de Braga, foi este domingo divulgado.

O Projeto Pimpolho pretende despistar a ambliopia a todas as crianças de Braga, que frequentam estabelecimentos de ensino público ou privado, com idades compreendidas entre os três e os quatro anos, idades em que a patologia pode ser revertida. (Arquivo)

O Projeto Pimpolho pretende despistar a ambliopia a todas as crianças de Braga, que frequentam estabelecimentos de ensino público ou privado, com idades compreendidas entre os três e os quatro anos, idades em que a patologia pode ser revertida. (Arquivo)

© Yves Herman / Reuters

Segundo um comunicado do hospital, o Projeto Pimpolho decorre desde maio de 2014 e atende semanalmente cerca de 30 crianças, entre os três e os quatro anos de idade, para uma consulta oftalmológica de prevenção da ambliopia. 

"No âmbito deste projeto de despiste da ambliopia nas crianças de Braga, patologia mais conhecida por 'olho preguiçoso', é já possível concluir que uma em cada 30 crianças tem ambliopia moderada a grave", refere o comunicado.

Em caso de dúvida, as crianças são sinalizadas, com uma informação de retorno que é remetida aos encarregados de educação, através das escolas.

Dessa forma, se o quadro se agravar, os pais devem marcar consultas da especialidade.

O Projeto Pimpolho pretende despistar a ambliopia a todas as crianças de Braga, que frequentam estabelecimentos de ensino público ou privado, com idades compreendidas entre os três e os quatro anos, idades em que a patologia pode ser revertida.

O hospital sublinha que a ambliopia, se não for tratada, pode afetar "para sempre" a saúde e qualidade de vida da criança. 

A ambliopia é uma doença exclusiva da infância e apenas tratável nessa fase da vida. 

O hospital frisa ainda que o sucesso do tratamento da ambliopia pode atingir quase 100 por cento, ao passo que o não tratamento na idade pediátrica acarreta cegueira, baixa visão ou visão subnormal, não passível de ser corrigida para o resto da vida.

Ou seja, mesmo com posteriores cirurgias, correção ótica ou outros tratamentos, a criança ficará "para sempre sem visão normal".

A ambliopia é acuidade visual baixa de um ou dos dois olhos, causada por alterações que perturbam o normal desenvolvimento da visão durante um período crítico. 

É tratável até aos 60 meses, sendo o seu tratamento menos eficaz depois desta faixa etária. 

O balanço pormenorizado do primeiro ano do Projeto Pimpolho será feito na segunda-feira, em conferência de imprensa, no Hospital de Braga.

O projeto resulta de uma parceria entre o Hospital e a Câmara de Braga.
Lusa
  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.