sicnot

Perfil

País

Começam a existir sinais de entendimento para a nova lei da cobertura das eleições

Começam a existir sinais de entendimento para a nova lei da cobertura das eleições

Começam a existir sinais de entendimento entre os deputados da maioria e os representantes dos orgãos de comunicação social, para a nova lei da cobertura das eleições. O PSD já admite, por exemplo, consagrar a liberdade editorial sem restrições, antes do período da campanha.

  • Nova proposta do PS reconhece liberdade editorial na cobertura das campanhas eleitorais

    País

    O PS surpreende e apresenta um novo projeto legislativo que dá liberdade aos meios de comunicação social na cobertura jornalística das campanhas eleitorais, depois de recuar numa proposta polémica que ficou associada ao “visto prévio”. No outro lado da mesa, está uma proposta de lei do PSD-CDS que, apesar de ter uma nova redação, continuar a impor restrições à atividade dos meios de comunicação social, nos noticiários e nos debates, e multas que chegam a 30 mil euros por infração. Resta esperar para ver se, através de um ou do outro projeto (ou dos dois fundidos), a polémica lei de 1975 vai ser revogada a tempo de entrar em vigor nas próximas eleições.

  • Órgãos de Comunicação defendem que regras da cobertura eleitoral ameaçam liberdade editorial
    2:27

    País

    As propostas do PSD e do CDS para alterar a lei de cobertura jornalística das eleições, que a SIC divulgou esta quinta-feira, foram muito mal recebidas pelos órgãos de comunicação social. Num comunicado divulgado esta sexta-feira, ao final da tarde, um grupo de 20 diretores de informação diz que as regras que os partidos da maioria propõem continuam a ameaçar a liberdade editorial.

  • Projeto da maioria deixa cair obrigação de plano prévio na cobertura das eleições
    2:07

    País

    Já está a ser discutida a nova proposta do PSD e do CDS para a cobertura jornalística das eleições. A SIC sabe que, quer a Entidade Reguladora para a Comunicação Social, quer a Comissão Nacional de Eleições já sabem qual é o teor da nova proposta feita pela maioria. Os dois partidos deixaram cair todas as matérias que causaram polémica. E esperam, agora, que se consiga chegar a um entendimento com o PS para que a nova lei seja aprovada rapidamente.

  • Lei da cobertura das campanhas eleitorais vai ser discutida no Parlamento
    0:15

    País

    Os dirigentes regionais do PSD e do CDS-PP estiveram reunidos esta noite para acertar detalhes sobre o acordo de coligação. A reunião dos presidentes das distritais serviu para preparar as eleições mas não para definir listas. No final, o vice-presidente do CDS, Nuno Magalhães, falou da lei da cobertura das campanhas eleitorais, para dizer que o assunto vai ser discutido no Parlamento.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.