sicnot

Perfil

País

Tribunal absolve Ana Manso

O tribunal da Guarda absolveu hoje a antiga presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) da Guarda Ana Manso da prática de um crime de abuso de poder.

Ana Manso estava acusada da autoria material e na forma consumada de um crime de abuso de poder, por ter votado a transferência do marido, Francisco Manso, de Castelo Branco para a Guarda, e, logo depois, ter promovido a sua nomeação para auditor interno da ULS/Guarda a que presidia em 2012, sem referir o parentesco.

O tribunal decidiu hoje absolver Ana Manso reconhecendo que a transferência do marido da ULS de Castelo Branco para a da Guarda não iria lesar "em nada" o interesse público.

No entanto, durante a leitura da sentença o juiz disse que a ex-presidente da ULS violou os deveres de isenção e de objetividade, pois devia ter-se abstido na transferência do marido.

Após conhecer a decisão do Tribunal, Ana Manso disse aos jornalistas que sempre esteve "de consciência tranquila" em relação ao processo que a sentou no banco dos réus.

"Eu sempre acreditei que a justiça se faz nos tribunais e não na comunicação social. Sempre estive de consciência tranquila. A verdade tardou, mas veio ao de cima", afirmou.

A antiga presidente da ULS/Guarda disse estar consciente que "não tinha cometido nenhum delito" e que no exercício de funções deu o seu "melhor, de forma apaixonada, pela Guarda e pelo serviço público, no hospital, na ULS".

O advogado João Bandurra, que defendeu Ana Manso em tribunal, acompanhado por Jorge Neto, disse aos jornalistas que recebeu a absolvição "sem surpresa" e que o processo foi conduzido "com serenidade",

"Carreamos ao processo todas as provas que tínhamos disponíveis para demonstrar aquilo que hoje, sem surpresa, o juiz deu como provado e, sem surpresa, também, absolveu a arguida, declarando isso expressamente na sentença, de que não há aqui cometimento de nenhum crime e não há nenhum procedimento ilegitimo na sua conduta enquanto presidente do conselho de administração da ULS da Guarda", disse João Bandurra.

Durante o julgamento, a arguida declarou que agiu sempre "de boa-fé" e que nunca teve "intenção de prejudicar quem quer que fosse de forma ilegítima".

Ana Manso disse também que quando o marido, administrador hospitalar de profissão, pediu autorização para exercer funções na ULS/Guarda por "interesse público", a decisão foi tomada pela necessidade do serviço.

Ana Manso desempenhou as funções de presidente da ULS da Guarda entre dezembro de 2011 e novembro de 2012 e atualmente é administradora hospitalar na mesma instituição.



Lusa
  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.