sicnot

Perfil

País

Treino em jejum pode ter mais riscos que benefícios

O treino em jejum, já usado há muito tempo por atletas de competição, começa a tornar-se tendência para quem pretende emagrecer, mas os especialistas alertam para os riscos desta prática sem controlo adequado.

© Sergio Moraes / Reuters

O personal trainer António Braz reconhece que, nos últimos dois anos, a prática de treinar em jejum começou a ser mais disseminada, acreditando que é apenas uma tendência para "procurar uma forma mais rápida de perder massa gorda".

"As evidências científicas demonstram que os riscos existem. Pode ser um risco, uma vez que os processos metabólicos da gordura e a quantidade de açúcar disponível no sangue são extramente difíceis de controlar", afirmou, em declarações à agência Lusa.

A ideia de quem procura os treinos cardiovasculares (corridas ou caminhadas) em jejum é aproveitar o período em que as reservas de açúcar estão baixas, para estimular a queima de gordura mais cedo no treino.

"A questão é que o nosso cérebro consome preferencialmente açúcar e, na ausência deste, vamos obrigar o nosso corpo a produzir corpos cetónicos. Prolongando este quadro podemos causar cetose, elevando a acidez do sangue", defende o personal trainer e professor de capoeira António Braz, lembrando que a acidose prolongada pode ter efeitos nefastos.

Henrique Jones, ex-médico da seleção portuguesa de futebol, considera que uma refeição ligeira uma hora antes do exercício "é fundamental para preencher as reservas energéticas que permitem alimentar os músculos".

Mesmo que em termos cardiovasculares não seja um risco imediato treinar em jejum, Henrique Jones defende que esta metodologia de treino é incorreta e pode provocar fadiga precoce e até eventual agravamento das micro lesões musculares.

"Existe uma tendência para esta metodologia associada à prática de exercício sobretudo quando o objetivo não é o bem-estar físico e psíquico mas a perda de peso e massa gorda corporal a qualquer custo", admite.

Contudo, o médico especialista em medicina desportiva José Gomes Pereira recorda que o exercício físico em jejum é uma prática utilizada em atletas há décadas. Trata-se de um exercício que consome mais gordura do que aquele que não é feito em jejum e que se utiliza em atletas de fundo, como maratonistas, para melhorar a sua performance.

"Se o exercício for estritamente aeróbio, de baixo impacto e com uma pessoa clinicamente saudável, não oferece qualquer risco realizá-lo. Porque uma pessoa metabolicamente saudável vai privilegiar, no exercício de baixo impacto, a utilização das gorduras em detrimento dos açúcares. Não provoca a hipoglicemia reativa ao esforço, que é o risco associado a quem faz exercício em jejum", indica.

Mas pode constituir um risco, caso a intensidade do esforço não seja rigorosamente monitorizado, podendo as pessoas ultrapassar o limiar da utilização dos açúcares durante o treino em jejum.

"Quem pode fazer exercício aeróbio em jejum? As pessoas que têm boa condição física, os atletas e quem está treinado. Os atletas de fundo usam preferencialmente as gorduras e poupam os açúcares, estão treinados para isso. Quem não está treinado, não o consegue fazer e tenta arranjar um truque e forçar o organismo a usar as gorduras, treinando em jejum. E indo em jejum correm riscos, porque não vão adaptados", defende o antigo médico do Sporting.

Ainda assim, para Gomes Pereira, o treino em jejum "não é um bicho papão" se for devidamente orientado e dirigido a quem tem preparação física.

Também Pedro Carvalho, da Faculdade de Ciências de Nutrição da Universidade do Porto, defende que o treino em jejum "é uma estratégia que tem mais sentido ser usada em atletas do que em pessoas que não estão muito treinadas".

"Não pode ser assumido por qualquer pessoa. Tem de existir o mínimo de capacidade cardiovascular. Quem quer queimar gordura, tem de se preocupar em treinar mais e comer melhor. Não é por treinar duas ou três vezes em jejum que vai recolher grandes benefícios", declarou o especialista à Lusa, acrescentando, aliás, que o maior determinante da queima de gordura é a capacidade física e a quantidade de massa muscular.

No site de uma das maiores cadeias de ginásios em Portugal, os benefícios do treino em jejum para perder peso são apontados como bastante reduzidos: "Pesando os benefícios, era necessário um ano de treino em jejum comparado com o treino a seguir à refeição, para ter uma diferença de menos um quilo. Será que esse quilo vale os riscos de saúde?".

O médico Gomes Pereira vinca que muitos querem perder gorduras antes do verão, fazendo "dietas da moda" e treinos que leem em revistas: "Quem faz treino em jejum com pressa de perder peso não faz só isso. Restringe-se muito a nível alimentar e isso tudo associado pode ser perigoso".


Lusa
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • #SICnaCampanha

    Autárquicas 2017

    As caravanas estão na estrada e os repórteres da SIC também. Acompanhe aqui os bastidores das autárquicas.

    Live blog

  • PSD não está a lutar "pela sobrevivência" em Lisboa
    3:29

    Autárquicas 2017

    Mais uma volta de norte a sul do país com a campanha dos líderes políticos para as próximas autárquicas. Ainda não acabou a guerra Bloco de Esquerda-CDU. A secretária-geral adjunta do PS bem se esforça, mas não consegue apoio nas ruas como António Costa. Pedro Passos Coelho voltou a aparecer ao lado de Teresa Leal Coelho, mas não quis comentar prováveis resultados na capital.

  • PCP e PS desvalorizam estudo de economistas com alternativa à do Governo
    1:09

    Orçamento do Estado 2018

    Um grupo de economistas, incluindo o deputado independente eleito pelo PS Paulo Trigo Pereira, publicou um estudo em que defende uma proposta alternativa à apresentada pelo Governo. O PCP e o PS desvalorizaram a opinião dos economistas e o Bloco de Esquerda disse que a consolidação orçamental poderia ser mais lenta. Já o PSD e o CDS aplaudem a proposta e defendem que o estudo apresentado é um aviso ao desnorte do Governo. 

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Jato privado incendeia-se no aeroporto de Istambul

    Mundo

    Um jato privado com quatro pessoas a bordo despistou-se e, por consequência, incendiou-se esta quinta-feira no Aeroporto de Istambul. De acordo com os media locais, todos os ocupantes sobreviveram, saindo do avião por si mesmos, apenas com ferimentos ligeiros.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Deputado do Canadá pede desculpa por chamar "Barbie do Clima" a ministra

    Mundo

    O deputado da província de Saskatchewan, no Canadá, chamou na terça-feira a ministra do Ambiente de "Barbie do Clima". Catherine McKenna não gostou de ser apelidada desta forma e acusou Gerry Ritz de ter um comportamento sexista. Após a crítica, foram precisos apenas 20 minutos para o deputado fazer um pedido de desculpas à ministra.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC