sicnot

Perfil

País

Guardas prisionais realizam nova vigília e período de greve

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) anunciou esta segunda-feira que vai realizar, na terça-feira, uma vigília junto à residência do primeiro-ministro e um período de greve de três dias às diligências no exterior.

Esta será quarta vigília e do sexto período de greve que os guardas prisionais realizam desde março no âmbito dos protestos que estão a realizar para exigir a aplicação do estatuto profissional aprovado há mais de um ano, mas que ainda não foi aplicado. (Arquivo)

Esta será quarta vigília e do sexto período de greve que os guardas prisionais realizam desde março no âmbito dos protestos que estão a realizar para exigir a aplicação do estatuto profissional aprovado há mais de um ano, mas que ainda não foi aplicado. (Arquivo)

LUSA

Segundo o SNCGP, trata-se da quarta vigília e do sexto período de greve que os guardas prisionais realizam desde março no âmbito dos protestos que estão a realizar para exigir a aplicação do estatuto profissional aprovado há mais de um ano, mas que ainda não foi aplicado. 

O presidente do sindicato, Jorge Alves disse à agência Lusa que os guardas prisionais exigem a regulamentação do horário de trabalho, progressões nas carreiras, aprovação dos novos níveis remuneratórios e pagamento do subsídio de turno para quem faz noites.

Jorge Alves adiantou que, a 7 de maio, os elementos do sindicato mantiveram uma reunião com o secretário de Estado da Justiça, mas "até agora não houve resposta aos problemas".

"Já passou mais de um mês e não obtivemos qualquer resposta por isso é que decidimos avançar com estas formas de luta, como a vigília e um período de greve às diligências", sustentou.

De acordo com o sindicato, a greve vai realizar-se entre quarta-feira e sexta-feira e vai afetar as saídas ao exterior. 

"Não queremos prejudicar os reclusos por isso não decretamos uma greve total, a paralisação de três dias apenas diz respeito às saídas ao exterior", acrescentou.  

Em declarações à agência Lusa, a ministra da Justiça, Paula Teixeira da Cruz, afirmou que as greves dos guardas prisionais "são sistemáticas" e não encontra razões para estas paralisações.

"Não entendemos que haja razão, nem que haja algo de substantivo nelas, porque objetivamente tem-se reforçado os meios do sistema prisional", disse, adiantando que o Ministério da Justiça tem "feito tudo, desde aprovar o estatuto da guarda prisional até conseguir que se aprovasse o procedimento de ingresso de 400 guardas prisionais, o que neste momento não é fácil".
Lusa
  • Guardas prisionais iniciam greve de três dias

    País

    Os guardas prisionais iniciam hoje um novo período de greve de três dias e realizam uma vigília junto ao Ministério das Finanças, no âmbito dos protestos que estão a realizar para exigir a aplicação do estatuto profissional.

  • Ministra anuncia admissão de 400 guardas prisionais
    0:43

    País

    As chefias dos estabelecimentos prisionais entregam hoje no Ministério da Justiça os telemóveis de serviço. Um gesto simbólico para contestar as condições de trabalho a que estão sujeitos. Os guardas lembram que o estatuto profissional foi aprovado há mais de um ano, mas continua por regulamentar. A ministra da Justiça recomenda aos chefes das cadeias que aguardem "com tranquilidade" porque está em curso um concurso para a admissão de 400 novos guardas prisionais.

  • Guardas prisionais ameaçados por não atenderem os telefones de serviço
    2:03

    País

    Os guardas prisionais dizem que receberam ameaças disciplinares se não atenderem os telefones de serviço. Hoje foram entregar os telemóveis à ministra da Justiça. No entanto, o Ministério da Justiça recusou receber os aparelhos dos guardas que dirigem as prisões em Portugal. Sem alternativa, os telefones foram entregues na Direção-Geral dos Serviços Prisionais.

  • Biológicos nas escolas e nos telemóveis

    País

    O Governo vai criar o Dia Nacional da Alimentação Biológica e uma estratégia que passa por distribuir produtos biológicos nas escolas e criar uma aplicação móvel para os portugueses poderem localizar unidades de produção ou comercialização de produtos biológicos, segundo a Estratégia Nacional que será hoje apresentada.

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.